Economia

Montepio. Virgílio Lima formaliza candidatura à Mutualista

Atual presidente “propõe continuidade e renovação ao serviço dos associados” e defende estabilização do grupo. O padre Vítor Melícias encabeça a lista de candidatos à Assembleia de Representantes, uma hipótese que já tinha sido avançada pelo Nascer do SOL.


O pontapé de partida para a apresentação das listas para as eleições da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG) já foi dada com Virgílio Lima, atual presidente do conselho de administração do Montepio. O ato eleitoral vai decorrer no próximo dia 17 de dezembro e na sessão, que decorreu esta quinta-feira, em Lisboa, foram também apresentados os candidatos da Lista A aos órgãos sociais da Mutualista. 

Maria de Belém Roseira encabeça a lista para a Mesa da Assembleia Geral, Vítor Franco é o número um da lista para o Conselho Fiscal e o Padre Vítor Melícias é o primeiro nome candidato à Assembleia de Representantes, seguido de Edmundo Martinho, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

O padre Vítor Melícias encabeça a lista de candidatos à Assembleia de Representantes, uma hipótese que já tinha sido avançada pelo Nascer do SOL.

“Este é um momento crucial da nossa vida coletiva, que não permite aventureirismos ou novas experiências”, considerou Virgílio Lima, sublinhando que a “continuidade e renovação são condições fundamentais para salvaguardar a independência” da Associação Mutualista Montepio.

O atual presidente do Conselho de Administração entende que é fundamental continuar o trabalho de “estabilização do grupo Montepio, interna e externamente, eliminando o ‘ruído’ público e, também, o ‘ruído’ no seio das suas organizações”, acrescentando que “esta é uma dimensão fundamental, porque reforça os nossos valores e princípios fundadores de solidariedade entre os Associados e de reafirmação da natureza de entidade da economia social, que mutualiza os riscos e os benefícios, alicerçada na ética, no rigor, na credibilidade e na confiança que nos trouxeram até aqui”.

Como prioridades para o futuro à frente do Montepio, Virgílio Lima destacou que “devem ser criados com a economia social vínculos mais fortes, que permitam a adesão de novos associados”. 

Por seu lado, Maria de Belém recordou que acompanha a vida da instituição há mais de 40 anos pelo que a candidatura institucional "faz todo o sentido", e sublinhou que o "objetivo fundamental é poder contribuir para o prestígio da AMM enquanto conceito que envolve a responsabilidade social de cada um de nós no serviço a todos os associados". A ex-ministra da Saúde lembrou ainda que "o mutualismo é um ramo fundamental da economia social, ao qual as ameaças globais acrescentaram justificação e futuro".

Também o presidente da Santa Casa da Misericórdia apelou à participação de todos nestas eleições, considerando que "é um dever de todos mutualistas" e defendeu ainda que "o caminho tem de ser o da confiança, crescimento e inovação permanentes, sem aventuras de agendas pessoais, e assente na experiência, na competência de quem tem provas dadas, com a garantia de um compromisso irrepreensível à causa da Associação e do Mutualismo".

Recorde-se que, na semana passada, a Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensõe (ASF) deu luz verde às quatro listas candidatas. A par de Virgílio Lima, as outras listas são encabeçadas por Pedro Gouveia Alves, Pedro Corte Real e Eugénio Rosa.