Internacional

Aliança de fações rebeldes ameaça capital etíope

Cidadãos tigrínios têm sido detidos em rusgas porta-a-porta. O Governo etíope está a fazer um levantamento das armas possuídas por civis, exigindo-lhes que defendam os seus bairros.  


A guerra civil na Etiópia deu uma reviravolta, e a Frente de Libertação do Povo Tigré (TPLF, na sigla inglesa), anunciou que se aliou a oito fações anti-governamentais, numa altura em que os seus combatentes já estão às portas da capital, Addis Ababa.

O Governo de Abiy Ahmed, em tempos galardoado com o prémio Nobel da Paz, já apelou a todos os cidadãos que pegassem em armas - um post do primeiro-ministro, a prometer "enterrar" os militantes do TPLF, foi removido pelo Facebook, as políticas contra o incitamento e apoio à violência do Facebook - e as autoridades da capital efetuaram um levantamento de todo o armamento possuídas por civis, avisando-os para se prepararem para que defendessem os seus bairros, avançou a BBC.

Entretanto, a embaixada dos Estados Unidos avisou todos os cidadãos norte-americanos que saíssem imediatamente do país, alertando que "a segurança é muito fluída". Cidadãos tigrínios - a etnia representada pelo TPLF - têm sido rotineiramente detidos, em rusgas porta-a-porta, avançou o Guardian, e os rebeldes prometem avançar. "Não há limites para nós", assegurou Berhane Gebrechristos, dirigente do TPLF, que governou a Etiópia durante décadas, e antigo ministro dos Negócios Estrangeiros.