Internacional

Admitem que violaram menina de seis anos após médicos descobrirem que criança tinha várias doenças sexualmente transmissíveis

Caso ocorreu nos EUA. 


Dois homens confessaram que, além de terem traficado uma criança, de seis anos, para exploração sexual, também a violaram, contagiando-a com doenças sexualmente transmissíveis, no estado norte-americano do Arkansas.

Segundo a imprensa internacional, no passado dia 11 de novembro, o Gabinete do Procurador dos Estados Unidos para o Distrito Oriental do Arkansas, informou que os suspeitos, Demarcus George, de 27 anos, e Mario Waters, de 33, se declararam culpados de “conspiração para o tráfico sexual de uma criança de seis anos”. O caso remonta a 2018, mas continua a ser julgado em tribunal.

Documentos judiciais, a que a imprensa norte-americana obteve agora acesso, indicam que a vítima foi levada para o Hospital Infantil do Arkansas, em 2018, onde foi diagnosticada com doenças sexualmente transmissíveis. Na altura, a criança conversou com um agente do FBI e revelou que tinha sido violada, num quarto de hotel, não sabendo, no entanto, precisar o nome do espaço. Contudo, graças à descrição da vítima, as autoridades conseguiram localizar a unidade hoteleira.

Os médicos indicaram que a criança tinha mais do que uma doença sexualmente transmissível, que provavelmente desenvolveu depois de várias pessoas a agredirem sexualmente. A polícia acabou por obter amostras de sangue e urina dos dois suspeitos, acabando por obter resultado positivo para várias doenças, e levando-os agora a confessar os crimes.

Em tribunal, os dois homens admitiram que tiveram contacto sexual com a criança e que a traficaram para exploração sexual.

“Os crimes indescritíveis cometidos contra esta criança lembram-nos de como é  importante ter policias dispostos a investigar e a impedir estas ações horríveis”, declarou o procurador Jonathan D. Ross. “Estas confissões pouparão a jovem vítima de ter que reviver a sua experiência no banco das testemunhas num julgamento”, acrescentou.

As audiências de condenação de ambos os suspeitos estão já agendadas.