Internacional

Médico belga terá emitido 2.000 certificados de vacinação falsos

O médico deverá ser processado por falsificação.

 


A justiça belga está a investigar um médico suspeito de emitir 2.000 certificados falsos de vacinação anticovid-19, a fraude "mais grave" na gestão da pandemia na Bélgica, disse a ministra da Saúde da região da Valónia.

O médico terá oferecido os seus serviços aos “quatro cantos da Valónia”, disse Christie Morreale ao canal RTBF, segundo a agência de notícias France-Presse (AFP). O objetivo era dar às pessoas um certificado de vacinação para evitar as restrições em vigor.

"É uma fraude de vacinação por um médico que codificou um número astronómico de pessoas que ele teria vacinado (...), 2.000 pessoas no total", disse Christie Morreale, que acrescenta que é impossível que um único médico pudesse ter vacinado tantas pessoas em tantos lugares diferentes.

O caso já foi remetido aos tribunais e à associação médica, tendo já sido negado ao médico de família o acesso à base de dados que centraliza as vacinas. O médico deverá ser processado por falsificação.