Cultura

Evan Rachel Wood alega em tribunal que temeu que Marilyn Manson abusasse do seu filho de oito anos

Wood, que acusou o músico de abusos sexuais, encontra-se neste momento a lutar em tribunal pela custódia do seu filho, fruto da sua relação com o ator Jamie Bell.

 


Evan Rachel Wood revelou que Marilyn Manson ameaçou “abusar” do seu filho de 8 anos, Jack, conforme relatado nos documentos judiciais obtidos pelo The Daily Mail.

De acordo com a publicação, a alegação foi feita numa declaração registada em abril como parte da batalha em curso pela custódia da atriz com o ex-marido Jamie Bell.

Os documentos afirmam que as supostas ameaças de Manson forçaram a atriz a reforçar a segurança na sua casa, incluindo a instalação de janelas de vidro à prova de balas e uma porta de aço. 

No processo, Wood explica que se mudou do estado norte-americano do Tennessee para Los Angeles por "medo" já que, alega a atriz, Manson ameaçou violar o menino. "Levei a ameaça dele a sério, e continuo a fazê-lo", acrescentou. "Tenho muito medo".

A atriz alega ter sofrido "danos físicos e emocionais severos e traumáticos", e diz temer que Manson "se tente vingar" dos seus testemunhos em tribunal. 

Além disso, a artista acusa ainda alguns fãs do músico de a terem ameaçado de morte: "Não é só ele que representa um risco para a nossa segurança. A sua rede de fanáticos, que, como ele, são satanistas extremistas, pedófilos e nazis", continua.

Por sua vez, Jamie Bell contestou estas alegações em tribunal. "A história de Evan desafia a credibilidade. Francamente, não entendo o que se está a passar", afirmou. 

"Ou as alegações dela de que recebeu ameaças de morte são verdadeiras e o nosso filho não está seguro ao seu cuidado, ou são falsas e ela está a proibir-me de ver o meu filho por razões desconhecidas", sublinhou. 

 

Os comentários estão desactivados.