Economia

Governo quer aumentar incentivos aos elétricos para oito milhões de euros

Apesar do chumbo do Orçamento do Estado para 2022, o secretário de Estado assegurou que a intenção de duplicar os incentivos no próximo ano "é um compromisso que existe e é para manter".


Os incentivos à compra de veículos 100% elétricos deverão continuar a existir, pelo menos até os custos serem equiparados aos de automóveis com motores a combustão, afirmou o secretário de Estado da Mobilidade. Em entrevista ao Jornal de Negócios, Eduardo Pinheiro admitiu, aliás, que a intenção do Governo era de duplicar esses apoios em 2022, para oito milhões de euros.

Em 2021, os apoios eram de quatro milhões de euros, valor que foi reforçado com mais 500 mil euros, e o Executivo ia apresentar uma proposta de oito milhões de euros para 2022.

"Sentimos essa necessidade porque o sistema de carregamento permite já que haja um maior número desses veículos nas nossas estradas", explicou, garantindo que ainda não é o momento para começar a reduzir estes apoios. 

"A oferta do setor automóvel é cada vez maior e mais acessível e haverá no futuro uma evolução ao nível das baterias que reduzirá substancialmente a diferença entre o custo de um automóvel a combustão e um 100% elétrico. Todavia, não é ainda o momento. Nesta altura ainda faz sentido este apoio", defendeu, acrescentando que os apoios à aquisição dos veículos elétricos devem manter-se enquanto esse valor não for o mesmo.

Apesar do chumbo do Orçamento do Estado para 2022, o secretário de Estado assegurou que a intenção de duplicar os incentivos "é um compromisso que existe e é para manter".

 

 

 

Os comentários estão desactivados.