Internacional

Tigre morto a tiro após atacar funcionário de Zoo na Flórida

Depois de ser baleado, o tigre voltou ao seu abrigo onde foi sedado por um veterinário para que pudesse ser tratado tendo, no entanto, acabado por morrer.


O tigre Eko foi morto a tiro no Naples Zoo, na Flórida, depois de, na quarta-feira, ter atacado um funcionário da limpeza.

Inicialmente, o polícia não tinha intenções de disparar para matar, mas essa foi a única forma de fazer o animal largar o braço do colaborador do Zoo.

Depois de ser baleado, o tigre voltou ao seu abrigo onde foi sedado por um veterinário para que pudesse ser tratado. No entanto, acabou por morrer.

A vítima é um homem de 20 anos que trabalhava numa empresa subcontrata pelo jardim zoológico. Depois do ataque, foi levado para o hospital com ferimentos considerados graves. De acordo com a SkyNews, o acidente ocorreu pelas 18h30 (23h30 de Lisboa) desta quarta-feira.

Citadas pela mesma fonte, as autoridades locais afirmam que o funcionário terá "atravessado uma barreira inicial da jaula e colocado o braço através da grade do recinto do tigre", numa possível tentativa de acariciar ou alimentar o animal.

Este jardim zoológico faz parte da Campanha de Conservação do Tigre para apoiar as ameaças na selva ao tigre-malaio, animal em vias de extinção.

Estima-se que existam atualmente 80 e 120 tigres-malaios adultos reprodutores a viver atualmente na natureza, de acordo com a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza.

Eko tinha oito anos e já tinha vivido no zoo de Woodland Park, em Seattle.