Internacional

Assassinos do jornalista Jamal Khashoggi vivem em alojamentos de luxo, diz testemunha

Avistamentos lançam (mais) dúvidas sobre as afirmações de Riade de responsabilizar assassinos. 


Pelo menos três membros de um esquadrão saudita condenados pelo assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, um dos principais críticos do regime da Arábia Saudita, vivem e trabalham num “alojamento de sete estrelas" dentro de um complexo de segurança gerido pelo governo em Riade.

Acredita-se que, segundo uma fonte anónima citada pelo The Guardian, os assassinos estejam alojados em vilas e edifícios geridos pela agência de Segurança do Estado da Arábia Saudita. A mesma fonte diz que os membros da família visitam frequentemente os homens, que têm acesso a um ginásio e espaços de trabalho na zona.

Todos eles foram condenados perante um tribunal saudita, num julgamento amplamente visto como uma farsa – embora apenas um deles, Salah al-Tubaigy – tenha sido citado. Alguns receberam sentenças de morte, que mais tarde foram trocadas por prisão perpétua. Os avistamentos lançam (mais) dúvidas sobre as afirmações de Riade de responsabilizar os assassinos.

A fonte confirmou que Tubaigy, o cientista forense que desmembrou Khashoggi dentro do consulado saudita em Istambul, foi um dos homens vistos dentro das instalações. Assim como Mustafa al-Madani e também Mansour Abahussein, acusado de liderar a operação.

Os comentários estão desactivados.