Sociedade

Grávida de 33 semanas não vacinada está ligada à ECMO no Hospital de São João no Porto

ECMO é um dispositivo de circulação extracorporal essencial ao tratamento de doentes críticos. 


Uma mulher que está grávida de 33 semanas, infetada com covid-19 e sem ter recebido qualquer vacina contra o vírus, está desde sexta-feira ligada à ECMO - um dispositivo de circulação extracorporal essencial ao tratamento de doentes críticos - no Hospital de São João, no Porto, indicou uma fonte daquela unidade hospitalar à agência Lusa. 

A mulher, com 35 anos, foi encaminhada do Centro Hospitalar Tâmega e Sousa para o Hospital de São João e agora encontra-se "estável" e o seu bebé também "se encontra bem", reforçou a mesma fonte. 

Desde o início da pandemia, em março de 2020, este hospital já contabilizou "três grávidas com covid-19 em ECMO", apontando que as duas primeiras "foram salvas e que apenas um dos bebés não sobreviveu", referiu a fonte da unidade hospitalar, acrescentando que o maior hospital da zona Norte teve também, neste período, "cinco grávidas não covid-19 ligadas à ECMO".

Os comentários estão desactivados.