Sociedade

Irmãos moldavos condenados com penas suspensas por tráfico de pessoas no Alentejo

Ambos os irmãos estavam acusados de cinco crimes de tráfico de pessoas, um crime de associação de auxílio à imigração ilegal e 25 de auxílio à imigração ilegal.


O Tribunal de Beja condenou dois irmãos moldavos a penas de prisão suspensas por um crime de tráfico de pessoas e outro de auxílio à imigração ilegal, num caso que envolve trabalhadores agrículas no Alentejo, anunciou esta segunda-feira o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

O coletivo julgou parcialmente provada a acusação aos irmãos Sergiu Dicov, de 42 anos de idade, e Victor Dicov, de 35, assim como as suas duas empresas, com sede em Beja, de nomes Tatiana Ivanova e Matei Costel, pode ler-se no acórdão, lido no dia 17 deste mês, ao qual a Agência Lusa teve hoje acesso.

Ambos os irmãos estavam acusados de cinco crimes de tráfico de pessoas, um crime de associação de auxílio à imigração ilegal e 25 de auxílio à imigração ilegal. Para além disso, Sergiu também estava acusado de sete crimes de falsificação de documentos e a empresa Matei Costal de um crime de associação de auxílio à imigração ilegal, assim como nove crimes de auxílio à imigração ilegal.

Assim, Sergiu Dicov foi condenado a quatro anos de prisão por um crime de tráfico de pessoas e a mais dois anos de prisão por um crime de auxílio à imigração ilegal, num cúmulo jurídico de uma pena única de cinco anos de prisão, suspensa por igual período.

Já o seu irmão Victor foi condenado a três anos de prisão por um crime de tráfico de pessoas, e ainda a 18 meses de prisão por um crime de auxílio à imigração ilegal, num cúmulo jurídico de uma pena única de três anos e nove meses de prisão, suspensa por igual período.

 

 

Os comentários estão desactivados.