Sociedade

Morreu Maria Raquel Ribeiro, antiga deputada e uma das fundadoras da APAV

É de referir que, enquanto deputada, Maria Raquel Ribeiro integrou a Assembleia Nacional, entre 1969 e 1973, nos tempos da Ala Liberal - constituída por personalidades como Francisco Sá Carneiro, José Pedro Pinto Leite, Francisco Pinto Balsemão, Mota Amaral, Joaquim Magalhães Mota e Miller Guerra -, antes do 25 de Abril.


Maria Raquel Ribeiro (1925-2022), Associada Fundadora da APAV, morreu a 12 dias de completar 97 anos. 

"Nasceu no lugar de Adão Lobo, concelho de Cadaval, a 16 de Março de 1925 e estudou no Instituto de Odivelas e no Instituto Superior de Serviço Social de Lisboa. Teve uma intensa e longa carreira como funcionária pública, iniciada em 1949 no Instituto de Assistência à Família", começou por explicar a APAV na publicação que veiculou na sua página oficial do Facebook. 

De seguida, evidenciou que Maria Raquel Ribeiro se dedicou "também às organizações da sociedade civil, foi uma das Fundadoras da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), a 25 de Junho de 1990, cuja missão acompanhou assiduamente, por muitos anos. Em sua homenagem, a APAV inaugurou a Sala Maria Raquel Ribeiro, a 10 de Novembro de 2021, no Gabinete de Apoio à Vítima de Cadaval, a cuja cerimónia compareceu, uma vez mais, apesar de muito debilitada", frisando que "a APAV expressa sentidamente a sua perda à sua família e aos seus amigos".

"Diplomada como assistente social em 1948, exerceu numerosas funções sempre ligadas à sua área de intervenção, que elegeu como objetivo e à qual se dedicou com alma e coração", explicou Marcelo Rebelo de Sousa numa nota publicada no site oficial da Presidência da República. 

É de referir que, enquanto deputada, Maria Raquel Ribeiro integrou a Assembleia Nacional, entre 1969 e 1973, nos tempos da Ala Liberal - constituída por personalidades como Francisco Sá Carneiro, José Pedro Pinto Leite, Francisco Pinto Balsemão, Mota Amaral, Joaquim Magalhães Mota e Miller Guerra -, antes do 25 de Abril.

"Numerosas são as instituições que contaram com sua sempre ativa colaboração, desde a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o Instituto da Família e Ação Social, o Centro Regional de Segurança Social de Lisboa, a Direção Geral da Família e muitas outras", redigiu o Presidente da República, afirmando que a antiga deputada "mesmo depois de deixar a atividade profissional, nunca deixou de colaborar na mesma área, promovendo diversas atividades na prossecução de um envelhecimento ativo, para ela e para os outros".

"À sua família e amigos o Presidente da República apresenta as suas sentidas condolências", acrescentou.

Os comentários estão desactivados.