Sociedade

GNR resgata dez migrantes tunisinos na ilha de Sardenha

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR está sob missão com a Lancha de Patrulhamento Costeiro “Bojador” na Operação Conjunta “THEMIS 2022” – Itália, “sob a égide da Agência da Guarda Europeia de Fronteiras e Costeira (FRONTEX)",  que tem o objetivo de “controlar os fluxos de migração e impedir a criminalidade transfronteiriça”. 


A Guarda Nacional Republicana (GNR), a bordo da Lancha de Patrulhamento Costeiro Bojador, resgatou, no dia 22 de maio, dez migrantes no sudoeste da ilha de Sardenha, em Itália.

“No decorrer de uma operação de busca a uma embarcação de migrantes, foi solicitado o empenhamento da Lancha Bojador, em coordenação com os restantes meios marítimos e aéreos mobilizados para o local”, começou por explicar a GNR num comunicado divulgado hoje.

Pelas 18h30 daquele dia, após as diligências necessárias, os militares localizaram a embarcação “com dez migrantes a bordo, todos homens de nacionalidade tunisina”.

No resgate, verificaram que os migrantes se encontravam “aparentemente em bom estado de saúde”, tendo sido transportados para o porto de Sant’Antioco. “Em coordenação com as autoridades locais e equipas da FRONTEX”, também foi efetuado “o reboque da embarcação utilizada na travessia e que lhes foi igualmente entregue”.

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR está sob missão com a Lancha de Patrulhamento Costeiro “Bojador” na Operação Conjunta “THEMIS 2022” – Itália, “sob a égide da Agência da Guarda Europeia de Fronteiras e Costeira (FRONTEX), no âmbito da coordenação operacional nas fronteiras externas da União Europeia”, que tem o objetivo de “controlar os fluxos de migração e impedir a criminalidade transfronteiriça”. Os portugueses vão cumprir esta missão até 13 de julho de 2022.

Os comentários estão desactivados.