Cultura

Da descontração de marcelo ao estilo dos Obama: Marin não é caso único

Desengane-se quem pensa que só Sanna Marin tem quebrado estereótipos e mostrado que os políticos também têm gosto pela moda. Já são muitos aqueles que, apesar dos cargos, usam roupa que ‘foge às normas’ e marcam presença em festivais de música e não só.


Um Presidente descontraído

Apesar de ter mantido o seu estilo habitual, de fato preto, com gravata que vai variando de cor, Marcelo Rebelo de Sousa compareceu no festival Rock in Rio no dia 25 de junho, de forma bastante discreta e descontraída. O Presidente da República assistiu ao concerto dos Duran Duran no meio da multidão, dançou, cantou e saiu do recinto tão discretamente como quando entrou. Além disso, o líder, conhecido por ser o ‘rei das selfies’, não negou nenhuma das dezenas de fotografias que lhe foram pedindo para fazer. O Presidente da República foi apanhado a caminhar pelo recinto e as imagens foram parar às redes sociais, onde os internautas comentaram as diferenças no ‘aparato’ em relação a Cristina Ferreira, que deu que falar devido aos seguranças que a rodeavam durante as suas deslocações dentro do recinto do mesmo festival. Enquanto a diretora de entretenimento e ficção da TVI surgiu no evento rodeada de seguranças, o Presidente da República optou por levar os seus seguranças, mas estes não permaneciam ao seu lado a escoltá-lo. Os seguranças de Marcelo Rebelo de Sousa também estavam presentes, mas acompanharam o Presidente à distância.

Um ministro de saia 

Com o passar dos anos, um pouco de tudo se tem visto na Assembleia da República. Contudo, foi no dia 25 de outubro de 2019 que uma pessoa decidiu ‘desafiar’ os padrões de moda presentes na Assembleia. Rafael Esteves Martins, assessor da à época nova deputada do Livre, Joacine Katar Moreira, apareceu vestido com uma saia. O partido partilhou as imagens na sua página de Facebook. Na altura, Esteves Martins revelou que falou com Joacine sobre a sua escolha de vestuário e que a deputada o apoiou na decisão. Numa conversa com Manuel Luís Goucha, na TVI, o ex-assessor, frisou «ser livre de escolher se anda de saias ou não». «Se eu pudesse ir nu, se calhar, ia nu», acrescentou. «Quando me foi feito o convite, disse à Joacine: «Eu adoro fatos, mas não gosto de usar fato todos os dias. Há dias em que vou usar fatos, mas há dias em que não vou usar fatos. Costumo [usar saia]. Dou aulas em saia, numa instituição que é mais antiga do que a Assembleia da República», lembrou, referindo-se ao facto de ser Leitor de Português na Universidade de Oxford, em Inglaterra. «Lá é normalíssimo ver homens de saia. Se há coisa que prezo é a minha liberdade», rematou.

Moda como uma mensagem

É verdade que existem inúmeras formas de comunicar e, sem dúvida, uma delas é a moda. Aliás, mitos especialistas da área defendem a teoria de que «as roupas que usamos falam sobre nós mesmos» e são consideradas «uma carta de apresentação». Mas além dos looks que podemos criar através de cores, ligadas, por exemplo, ao nosso humor, ou optar por um estilo que desejamos projetar sobre nós mesmos, há uma tendência conhecida há anos e que continua na ordem do dia: camisolas com mensagens desafiadoras. E, pelos vistos, os políticos não deixam de aderir. A última a usar um desses desenhos foi Irene Montero, Membro do Congresso dos Deputados de Espanha desde 2016. No mês passado, apenas um dia antes da celebração do Dia Internacional do Orgulho LGBTI+ , realizou-se o Conselho de Ministros em que foi anunciado a aprovação da Lei Trans. Para esta ocasião, Montero optou por vestir uma t-shirt que dizia: «Mariliendre», que segundo a Real Academia Espanhola é a definição coloquial da mulher que tem amizade com homens homossexuais. Além disso, a deputada é conhecida por vestir roupas de lojas bastante acessíveis como a Mango. 

Uma primeira-ministra versátil

Jacinda Ardern, a primeira-ministra da Nova Zelândia, é conhecida por defender os designers do país com as suas escolhas de guarda-roupa, desde o vestido de seda Juliette Hogan que usou no The Late Show, com Stephen Colbert, até ao top e às calças vermelhas folgadas de Maaike, que vestiu na noite da sua eleição em 2020. Segundo a Prestige, a mais jovem primeira-ministra da Nova Zelândia em 150 anos, é considerada «um ícone de estilo genuíno», já que esta tanto escolhe «um estilo bastante formal», com peças de grandes estilistas, como combinações descontraídas, compostas por jeans, camisa e casaco.  

Ou seja, embora o guarda-roupa para o dia-a-dia do trabalho inclua roupas de luxo com cores marcantes e estratégicas, como fazem vários outros líderes políticos, Jacinda Ardern, também é conhecida por usar roupas de baixo custo e sustentáveis. Além disso, não teme pela repetição de looks, nem se importa de optar por vestidos já utilizados por outras caras conhecidas, como foi o caso do vestido que escolheu para se encontrar no mês passado com Boris Johnson, igual ao que Kate Middleton usou numa tour à Índia em 2016.

O estilo dos Obama

Conhecemo-lo pelo seu sorriso fácil, pela sua acessibilidade e disponibilidade. Quando pensamos nele, mesmo que a imagem que nos venha à cabeça seja de um homem bem apresentado, de fato, todos sabemos que, Barack Obama, é também um homem bastante descontraído. Quando se trata de falar de moda, seja num talk show ou numa conferência global, o mundo admira também a ex-primeira-dama dos EUA, Michelle. Esta usa vestidos bem ajustados, calças e camisas casuais, que acabam por tornar o seu guarda-roupa adequado para criar um conjunto para todas as ocasiões. E o ex-presidente dos EUA, Barack Obama, parece fazer questão de acompanhar o sentido de moda da esposa. E, embora as suas escolhas de indumentária possam ser limitadas - aquele que foi o 44º presidente dos EUA é quase sempre visto em fatos escuros, combinados com uma camisa lisa e uma gravata brilhante no trabalho - Obama também é frequentemente visto de calças de ganga e t-shirts no seu dia-a-dia. O fotógrafo oficial da Casa Branca capturou mais de 2 milhões de momentos durante os dois mandatos do ex-presidente americano, muitos deles marcados por total descontração.