Cultura

Snoop Dogg é processado novamente por agressão sexual

A história de Jane Doe remonta a 2013 quando, após um concerto do rapper, em Anaheim, Califórnia, a mulher afirma ter ido à casa do bispo Don 'Magic' Juan, colega do rapper, para trabalharem juntos no estúdio de gravação, tendo acabado por ser agredida sexualmente por ambos.

 


O rapper americano Snoop Dogg foi novamente processado por agressão sexual que supostamente cometeu contra uma mulher, Jane Doe, dentro de um estúdio de gravações em 2013, informou a revista Rolling Stone. 

De acordo com a revista de música americana, a suposta vítima já entrou com uma ação judicial contra o artista, a quem acusa de a ter forçado a fazer sexo oral, em fevereiro. No entanto, depois das acusações terem sido retiradas em abril, a mesma decidiu entrar com uma ação noutro tribunal distrital da Califórnia. 

A história de Jane Doe remonta a 2013 quando, após um concerto do rapper, em Anaheim, Califórnia, a mulher afirma ter ido à casa do bispo Don 'Magic' Juan, colega do rapper, para trabalharem juntos no estúdio de gravação, tendo acabado por ser agredida sexualmente por ambos.

Em fevereiro, a equipa jurídica de Snoop Dogg considerou esse processo de agressão sexual e lesão "extorsivo" e "infundado", ao qual uma alegação de difamação foi adicionada.

Segundo a Rolling Stone, a mulher afirma ainda ter sofrido "intimidação e coação". Além disso, Jane Doe adianta que o rapper ameaçou processá-la e exigir uma compensação de "dezenas de milhões de dólares" em retaliação.

 

Os comentários estão desactivados.