Carta de Wall Street

McGovern e Governo

McGovern disse que teria sido muito melhor senador e candidato presidencial se tivesse tido experiência nos negócios antes de ter ido para a política...

McGovern e Governo

por Pedro Ramos

Nova Iorque, agosto 2022

«Wisdom too often never comes, and so one ought not to reject it merely because it comes too late».

Justice Felix Frankfurter (citado pelo Senador George McGovern)

«Progress is impossible without change; and those who cannot change their minds cannot change anything».

George Bernard Shaw

«A Fanatic is one who can’t change his mind and won’t change the subject».

Winston Churchill

 

Queridas Filhas,

 

Em menos de duas décadas, vocês já se aperceberam que os políticos nunca se enganam. Nunca têm dúvidas. Estão sempre convictos que vão salvar o país ou mesmo o mundo. Esta atitude, amplificada pela facilidade de comunicar em redes sociais, espalha-se agora pela sociedade como um todo.

Esta falta de humildade, mata uma das principais características que distingue o ser humano: a capacidade de aprender. Se para pessoas individuais a tragédia e custos são particulares, a nível de governo e democracia os custos são grandes e suportados pela sociedade atual e futuras gerações.

Não pretendo aqui fazer uma reflexão sobre as condições que nos trazem a esta condição nem fazer uma exploração de mudanças filosóficas que suportariam uma mudança de curso. Mas gostava de alertar para os custos que esta atitude acarreta e propor uma pequena mudança, que pode melhorar a situação atual.

Inspiro-me no saudoso senador George McGovern. Depois de uma carreira como Senador na ala mais esquerdista do partido Democrata, foi nomeado para as presidenciais de 1972 em que perdeu para Richard Nixon. Em 1980, perdeu o seu lugar de senador e transitou para o setor privado. Nos primeiros anos fez discursos remunerados em conferências e congressos, que lhe renderam uma situação financeira confortável.

Usou estas poupanças para comprar um pequeno hotel, com restaurante e centro de conferências. Passados poucos anos foi forçado a declarar falência. Refletindo nesta experiência, escreveu um artigo de opinião no Wall Street Journal em que lamentou que os seus antigos colegas não tenham experiência de negócios.

Em particular, disse que teria sido muito melhor senador e candidato presidencial se tivesse tido a experiência de negócios antes de ter ido para a política. Se tivesse conhecimento das dificuldades e obstáculos que empreendedores e pequenos empresários enfrentam diariamente. Que hoje vê que para criar emprego, precisamos de empreendedores que arriscam o próprio capital em negócios com futuro incerto. Muitas vezes as regulações e as leis ignoram isso. Por exemplo, o hotel dele não conseguiria hoje sobreviver com as novas regulações laborais mesmo durante uma economia forte. E que a perda de negócios como o dele, leva sempre alguém a perder emprego.

Vindo de alguém com uma carreira política (e militar) tão ilustre como o senador McGovern, esta humildade e conselho para futuras gerações são inspiradores. E são bastante atuais. Isto porque na União Europeia, existe uma paixão por regular mais e mais a economia. E estas regras vem de burocratas não eleitos. Esta foi uma das razões apontadas para o Brexit.

Como passa o atual Governo português este teste de experiência em criar negócios e empregos? 0 empreendedores. De 18 ministros, apenas 2 com experiência em negócio privado (um deles no negócio da família). Proponho que em futuros governos, pelo menos metade dos ministros tenham pelo menos dois anos de experiência no setor privado, com supervisão pela execução de orçamentos e vendas. Podemos apenas sonhar no futuro promissor que isso traria ao nosso país. E também na lufada de ar fresco na administração pública que se assemelha mais a um clube de amigos académicos e partidários que rodam cadeiras. As recentes notícias de que o PS se propõe a avançar com Santos Silva para Presidente da República não são promissoras. Já estou fora do país há duas décadas, mas não sei de obra feita dele. Nem de convicções que não sejam a defesa do partido socialista. Portugal merece mais.

No futebol, grandes treinadores como Klopp, Guardiola ou Ancelotti foram jogadores primeiro (temos bons exemplos em Portugal também). Isso faz todo o sentido. Sabem liderar porque já estiveram no lugar dos jogadores. Na economia, os empreendedores e os setores privados são os criadores de riqueza. As melhores empresas do mundo estão nos países mais ricos do mundo (USA, Suíça, UK, Alemanha, …). Como acreditamos que alguém que não sabe o que é o setor privado e criação de riqueza pode liderar um país à prosperidade?

Os comentários estão desactivados.