Economia

Lucros do BPI sobem 18% para 286 milhões

Nos créditos a clientes houve um crescimento de 7%, o que corresponde a um aumento de 1,8 mil milhões de euros. Nos depósitos, a principal fonte de financiamento do balanço, o crescimento foi de 8%.

Lucros do BPI sobem 18% para 286 milhões

O BPI obteve um resultado consolidado de 286 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2022, o que representa uma subida de 18% face ao mesmo período de 2021.

A atividade em Portugal contribuiu com 159 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 25% relativamente ao período homólogo de 2021.

Nos créditos a clientes houve um crescimento de 7%, o que corresponde a um aumento de 1,8 mil milhões de euros, só a carteira de crédito à habitação cresceu 10% nos primeiros nove meses do ano.

Nos depósitos registou-se uma subida de 8%, para 30,4 mil milhões de euros. "Os depósitos de clientes representam 71% do ativo e constituem a principal fonte de financiamento do balanço", informa ao banco em comunicado.

“O BPI mantém uma posição financeira sólida, assente num forte dinamismo comercial, que nos tem permitido ganhar quota de mercado nos diversos segmentos de negócio e melhorar a rentabilidade”, sublinha o presidente Executivo do BPI.

João Pedro Oliveira e Costa garante que o banco “está preparado para continuar a dar um apoio decisivo às famílias, empresas e sociedade, num cenário de incerteza quanto à extensão e duração dos impactos da situação geopolítica e económica a nível internacional”.

E acrescenta: “Olhamos para os próximos exercícios com muita prudência, com a confiança de termos uma capitalização confortável, o melhor risco de crédito em Portugal, uma equipa focada e a capacidade de investir em tecnologia e inovação”.

Os comentários estão desactivados.