Internacional

Justiça sul-africana recusa pedido de Zuma e terá mesmo de cumprir pena na prisão

Condenado por desrespeito à Justiça


O ex-Presidente da África do Sul Jacob Zuma foi condenado em 2021 por desrespeito à Justiça e viu a sua liberdade condicional médica, que permitia que cumprisse pena na sua residência, ser rejeitada, esta segunda-feira, pelo Supremo Tribunal de Recurso, que considerou ilegal a medida e ordenou que o ex-chefe de Estado acabe de cumprir a pena na prisão.

"Deve regressar ao Centro Correcional (Estcourt) para o fazer. Se o tempo despendido por Zuma em liberdade condicional ilegalmente concedida deve ser levado em conta para determinar o período restante da sua prisão, não é uma questão para este tribunal".

A liberdade condicional médica foi permitida pelo então responsável dos serviços prisionais, Arthur Fraser e o ex-Presidente sul africano cumpriu menos de dois meses dos quinze a que foi condenado por desrespeito à Justiça, uma vez que recusou por diversas vezes cumprir a citação que lhe exigia o testemunho em investigações de corrupção que ocorreram durante o seu mandato entre 2009 e 2018.
 

Os comentários estão desactivados.