Sociedade

GNR reforça policiamento nas zonas de comércio

Em comunicado enviado às redações, a GNR informa que a operação teve início na sexta-feira e visa "garantir a segurança dos comerciantes e clientes" devido ao aumento de fluxo de pessoas em espaços e áreas de comércio, a partir da 'black friday' e até ao final da época de Natal. 


A Guarda Nacional Republicana (GNR) anunciou este sábado que está a realizar, até 31 de dezembro, a operação "comércio seguro 2022" através de um reforço do patrulhamento policial nas zonas de comércio e a realização de ações de sensibilização. 

Em comunicado enviado às redações, a GNR informa que a operação teve início na sexta-feira e visa "garantir a segurança dos comerciantes e clientes" devido ao aumento de fluxo de pessoas em espaços e áreas de comércio, a partir da 'black friday' e até ao final da época de Natal. 

Deste modo, vão ser realizadas ações de sensibilização junto dos comerciantes e o patrulhamento policial será reforçado nas zonas de comércio com a mobilização de militares das secções de prevenção criminal e policiamento comunitário, da investigação criminal e postos territoriais. 

Nas ações de sensibilização, os militares irão alertar os comerciantes para "os procedimentos de segurança a adotar, com o intuito de evitar que sejam alvo de ilícitos criminais", aconselhando-os a terem as entradas e saídas do estabelecimento bem iluminadas, que verifiquem se as portas e janelas estão devidamente fechadas quando fecharem a loja e para não ter grandes quantidades de dinheiro. 

Em caso de assalto, os lojistas devem, segundo a GNR, manter a calma, não reagir, memorizar os traços fisionómicos do assaltante, a roupa que o mesmo vestia e a direção de fuga, contactando de imediato a Guarda. 

A GNR indica ainda que se deve ter "sempre o cuidado de verificar" a segurança das páginas da internet, se a empresa ou determinada entidade que comercializa através da internet "realmente existe" para evitar burlas e "desconfiar sempre" de publicidade de bens ou serviços que são comercializados a preços demasiadamente baixos. 

Os comentários estão desactivados.