epidemia

‘A situação é menos grave do que em abril, mas é quase inevitável assistirmos a um aumento de óbitos’

Marta F. Reis