Opiniao

As homofobias que nos perseguem

Neste momento, em Portugal, não há homófobos que incomodem, mas sim anti-homófobos radicais e anti-democratas. Leio que o Grupo dos Verdes no Parlamento Europeu hesita em aceitar Marinho Pinto, por causa da sua homofobia. E eu, que conheço Marinho Pinto razoavelmente, e fui muitos anos seu colega jornalista, admiro-o pelo desassombro com que comunica as suas ideias (coisa rara na politica nacional), embora nem sempre concorde com ele, mas não me ocorre que tenha sido alguma vez realmente homófobo.


Afinal, a homofobia dele é apenas sensatez: repudiar que os casais gays possam adoptar legalmente crianças – pondo o interesse destas à frente dos preconceitos anti-homofóbicos de alguns – como, pelos vistos, os Verdes europeus. Fosse eu Marinho Pinto, e procuraria gente mais aberta, menos preconceituosa, democrática e moderna. Esta espécie supostamente anti-homofóbica é de arrepiar.