Opiniao

A loja de gomas ao fundo da minha rua

É prática corrente entre os noctívagos, sobretudo nos países como Portugal em que a noite se estende até de madrugada, saírem de uma discoteca extasiados de fome. São muitas horas que passam entre o jantar e a ida para 'o vale dos lençóis' e, como tal, para ensopar as bebidas ingeridas procura-se um espaço que sirva 'qualquer coisa'.

Penso que àquela hora 'qualquer coisa' é mesmo o termo correcto, e acabamos por ser muito pouco esquisitos. Quem ganha é quem vende, é tudo óptimo e saboroso, e o que em outro horário nos faria imensa confusão, ali, naquele momento, pouco importa.

Ainda assim penso que há muito por explorar neste aspecto. Na minha ida recente a Madrid todas as discotecas e bares tinham vários espaços de tudo o que é comida à sua frente e abertos depois das mesmas fecharem. Uma variedade imensa que nos permite escolher muito para além do hambúrguer e do cachorro da roulote.

Mesmo quem estuda ou trabalha até tarde procura por vezes algo para entreter o estômago, saciado habitualmente por portas dos fundos de algumas padarias da nossa cidade.

Eu, por azar ou sorte, tenho uma padaria e uma pastelaria na minha rua que não me permitem dietas profundas nem idas directas para casa. O que acaba por ser delicioso e reconfortante mas que me carrega o peso na consciência e no corpo.

O que não tinha nem estava à espera era de ter todo o imaginário que absorvia enquanto criança de uma loja com 556 variedades de gomas e chocolates, chupa-chupas, batatas e outras guloseimas aberta até às 4h da manhã na esquina do meu prédio. Mas tenho, acabada de abrir e pronta para me 'arruinar a vida' - e é tão bom! Lisboa está definitivamente a crescer, mais diversificada, moderna e cosmopolita. E eu só tenho que agradecer!

Sugestões :

Club : The Chapel ( São Francisco, USA )

Música: Piano Weapon ( Instrumental ) - Doorly

Slip Away ( Original Mix ) - Cari Golden