Avatar de José Paulo do Carmo

José Paulo do Carmo


  • O início da música de praia e os sons do Verão

    Por cá se nos 60 e inicio dos 70 ainda se ouviam The Beatles e Bee Gees e ganhavam força os bailes, foi na segunda década de 70 mas sobretudo nos anos 80 que o rock explodiu.

    O início da música de praia e os sons do Verão

  • Adereços carismáticos

    É um clássico identificarmos certas pessoas, sobretudo no mundo do espetáculo, por alguns adereços que usam – uns pelas suas características únicas e outros pela superstição que encerram ou ainda pela forma recorrente com que o fazem. Uns por uma questão de marca, outros por mania ou necessidade. 


  • O regresso do Kremlin

    É tempo de regressos neste final de 2015. Depois de vários anos remetida ao esquecimento, a Casa Mãe de Lisboa, no que ao mercado noturno diz respeito, reabre para gáudio de muitos que por lá viveram algumas das melhores noites da sua vida e para muitos outros que vão poder respirar o ambiente do underground…

    O regresso do Kremlin

  • Cross Fit e bailarinas em Madrid

    Aproveitei alguns dias de férias para fazer uma incursão a Madrid, algo de que não abdico pelo menos uma vez por ano para visitar amigos e conhecer as novidades que nos vai apresentando o país vizinho. Embora os espaços da moda se mantenham os mesmos, é sempre interessante constatar a alegria que os espanhóis impõem…

    Cross Fit e bailarinas em Madrid

  • O senhor no Saldanha que dizia adeus

    Eram os meus primeiros tempos de faculdade e como qualquer jovem da minha idade tentava absorver o admirável mundo novo agarrando-o com as duas mãos. Tudo era sinónimo de riso, galhofa e brincadeira (ainda hoje é) mas havia coisas que não tínhamos ainda capacidade para entender.

    O senhor no Saldanha que dizia adeus

  • Movember e a solidariedade portuguesa

    É comum hoje em dia expressarmos o nosso pesar pelas desgraças que vemos na televisão, lamentarmos os desastres e a infelicidade dos outros partilhando fotografias de apoio, apelando aos causadores que tenham um pingo de discernimento e que reflitam no mal que fazem ao mundo, mas isso normalmente vale de pouco ou nada. E afinal…

    Movember e a solidariedade portuguesa

  • Mulher objeto sexual

    Tenho oportunidade, sobretudo à noite, de observar e dissecar comportamentos de ambos os sexos em relação àquilo que é para cada pessoa específica o objetivo concreto daquele olhar, da primeira conversa ou da tal abordagem. Como já fiz questão de afirmar aqui neste espaço, temos vindo a conquistar vários conceitos de igualdade que nos colocam…

    Mulher objeto sexual

  • A Fashion TV e o Porto

    Foi com muito agrado que recebi o convite para o 18.º aniversário da Fashion TV no Palácio do Freixo no Porto. Primeiro porque é uma das marcas responsáveis por alguns dos grandes eventos nacionais e internacionais, conhecida globalmente e com uma exposição e capacidade de comunicação enormes; depois porque adoro a cidade, à qual não…

    A Fashion TV e o Porto

  • Pele de galinha

    Uma das profissões mais em voga e com exposição mais mediática é a de DJ. É por isso que tantos o tentam ser, alguns por amor à música, outros pelo dinheiro e ainda há os que o fazem pelo mediatismo. Seja qual for o caso, existem ainda diversas formas de lá chegar, ou pela qualidade…

    Pele de galinha

  • Uma nova fase

    Em Portugal, devido à nossa tipologia meteorológica e condicionados pelas férias da maioria da classe trabalhadora, as épocas de eventos e entretenimento dividem-se em dois espaços temporais durante o ano. A época de verão, que se inicia habitualmente na entrada do mês de junho até ao fim de setembro; e a restante época, que abarca…

    Uma nova fase

  • E depois de entrar?

    Esmiuçar os diversos pontos e áreas de uma discoteca ou qualquer outro espaço de eventos noturnos está cheio de lugares comuns, mas também de diversos segredos e muitas curiosidades por contar. Lugares comuns porque na noite, seja dentro ou fora de qualquer sítio, já sabemos que devemos sempre privilegiar as áreas mais iluminadas e fugir…

    E depois de entrar?

  • Felicidade Interna Bruta

    Chamem-me sonhador, mas acredito que algo pode ser assente no desenvolvimento educacional e na inclusão social, na preservação da saúde, na diminuição do trabalho em prol do lazer e tempos livres comuns,

    Felicidade Interna Bruta

  • Silêncio, a melhor arma

    Quando pensamos na noite como negócio temos sempre a tendência natural de rapidamente confundirmos as coisas, achando que por ser espaço temporal que usamos para nos divertirmos tudo o que está em volta desse tema é fácil e simples. Afinal de contas, parece ser uma animação constante, sempre em festa, rodeados de amigos, álcool e…

    Silêncio, a melhor arma

  • Piknic, Lisb-On, Out Jazz

    Domingo, 31 de Agosto, após quatro tentativas combinadas e canceladas entre amigos, resolvi finalmente fazer uma visita ao Piknic Électronik, movimento iniciado no Canadá, mais precisamente em Montréal, e que se expandiu posteriormente para Barcelona tendo chegado este ano à Tapada da Ajuda, Lisboa. Foi cansado de um evento profissional no dia anterior, mas muito…

    Piknic, Lisb-On, Out Jazz

  • E vão três!

    Esta semana a crónica ‘Na Linha da Frente’ celebra três anos de vida! Dedico-os inteiramente a quem retira um pouco do seu dia para a ler, independentemente de gostar muito ou pouco ou de não gostar de todo. É que os gostos não se discutem nem se agradecem, agora o tempo que dedicam à sua…

    E vão três!

  • Kizombas e festivais

    Partindo já para um balanço do que tive oportunidade de ver e ouvir sobre o Verão de 2015, a noite e o entretenimento, os festivais e as festas, aquilo que posso constatar é que me parece que cada vez mais pessoas gastam dinheiro neste tipo de eventos. Festival Paredes de Coura? Cheio. Festival MEO Sudoeste?…

    Kizombas e festivais

  • Olha-me nos olhos

    Andamos todos de igual. Vestimos as mesmas roupas ditadas pelas marcas de que mais gostamos. Somos muitas vezes reféns do que está na moda, do que se usa por aí ou do que aquele ou aquela de quem gostamos e com quem nos identificamos veste. Somos um produto da informação generalizada, das economias de escala,…

    Olha-me nos olhos

  • Apaixonei-me pela mãe solteira

    Estamos sempre a apregoar a falta de valores das novas gerações, mas penso que é um hábito generalizado das pessoas que sentem a transformação de hábitos e formas de estar e que não se conseguem adaptar à mudança – mesmo que isso signifique evolução. Há por aí pessoas para quem tudo o que é diferente…

    Apaixonei-me pela mãe solteira

  • Cabeça de Cubo Mágico

    Vivemos num tempo de paradoxo, em que a inteligência emocional se sobrepõe muitas vezes à inteligência intelectual. Isso deve-se ao desenvolvimento constante a que estamos sujeitos, com a quantidade de informação que recebemos e que coloca em confronto o nosso ‘eu’ mais egoísta, com a resiliência que sabemos ser necessária para resolver parte dos problemas…

    Cabeça de Cubo Mágico