Opiniao

Os heróis improváveis

Passamos a vida a queixarmo-nos ou da falta de sorte ou da falta de oportunidades. Olhamos para o lado e ao invés de reconhecermos capacidade mérito e valor atribuímos sempre a responsabilidade às casualidades, mas quando o mérito é nosso foi todo ele responsabilidade de sangue suor e lágrimas.

Há, no entanto, em Portugal exemplos de pessoas e projectos que não se limitaram a assobiar para o lado nem se conformaram perante as adversidades, foram à luta e, mérito deles, venceram contra todas as probabilidades. São esses os exemplos que devemos preservar e comunicar para que os outros percebam que é possível.

O Rádio Hotel é um dos expoentes máximos do que refiro. Pela mão de João Kamala, empresário e Dj de grande valor, metódico e humilde, este espaço tinha tudo para dar errado. Completamente fora do roteiro nocturno lisboeta e sem nada à volta que lhe permita 'transportar' clientes para aquela zona, com estacionamento limitado e espaço reduzido. Mas é um rotundo sucesso de quinta a sábado com sonoridades bem diversas e um ambiente sempre agradável.

Também o MusicBox trilhou esse mesmo caminho. Dirão alguns “ah, mas esse está na Rua Cor de Rosa”. Pois está, mas já esteve durante sensivelmente oito anos numa das ruas mais cinzentas da cidade num espaço pouco agradável mas que através de um conceito bem vincado e de uma programação diversificada, mas sempre muito bem conseguida, se tornou num case study.

Também na restauração temos exemplos disso mesmo. O caso mais gritante é a Tia Alice, em Fátima, surpreendente só para quem nunca lá foi. Espaço rústico 'perdido' na zona velha da cidade é presença constante nas listas de melhores restaurantes do país e a prova viva de que a conjugação de excelente cozinha caseira, serviço personalizado e espaço acolhedor ainda fazem milagres.

Poderia (e deveria) falar de muitos outros casos mas não tenho espaço para tudo. O importante a reter, principalmente numa altura de grave crise económico-financeira, é que vale a pena acreditar e arriscar quando se faz bem feito ao invés de ficar sentado à espera de qualquer coisa. Uma palavra de apreço também para tantos e tantos que perderam empregos e que hoje em dia criam as suas próprias marcas nacionais (de diversos produtos) sem se entregarem à sorte. São os heróis improváveis...!