Economia

BES: Activos empolados antes do colapso

Os actos de gestão praticados no BES nas  semanas anteriores à intervenção do Banco de Portugal (BdP),  como as cartas de conforto a credores do GES na Venezuela, têm sido apontados como a principal causa para o colapso do banco. Mas os activos empolados nas contas do BES tiveram um papel determinante na saúde financeira do banco. Muitas operações, descobertas já depois da saída de Ricardo Salgado, indicam que seria apenas uma questão de tempo até o banco entrar em agonia.
 

BES: Activos empolados antes do colapso

Quando o BES foi intervencionado, em Agosto de 2014, o BdP fez-lhe a primeira intervenção cirúrgica: separou os activos bons dos problemáticos, passando os primeiros para o Novo Banco e os segundos para o banco 'mau'. Sem o diagnóstico completo, e apenas com as contas semestrais do BES disponíveis, foi encomendada uma auditoria à PricewaterhouseCoopers (PwC) para validar o balanço do banco.

Em Dezembro do ano passado,  chega a radiografia e todos os créditos e activos artificiais ficaram expostos. Segundo o relatório da PwC, «os ajustamentos ao valor dos activos em base consolidada [...] totalizam 4.852 milhões de euros, antes do efeito da fiscalidade, o que corresponde a cerca de 6% do respectivo valor contabilístico à data da aplicação da medida de resolução ao BES».

Ou seja, descobria-se um empolamento de 6% nos activos totais do BES quando o banco foi resgatado, com operações semelhantes às que ocorreram em Angola. Só 1,2 mil milhões de euros foram correcções aos valores de créditos e outros 759 milhões ao registo contabilístico de activos imobiliários.

Ao que o SOL apurou, um mecanismo utilizado em Portugal para mascarar as contas ocorria nos chamados pagamentos em dação. Quando um devedor não consegue pagar uma dívida, o banco pode exercer o penhor sobre o activo que serviu de garantia - uma casa, por exemplo. Mas o BES registava esse imóvel a um preço superior ao de mercado, para não penalizar as contas.

felicia.cabrita@sol.pt
joao.madeira@sol.pt

Condomínio de luxo era apenas um engodo

 

 

 

 

Os comentários estão desactivados.