Politica

Candidatura de Henrique Neto diz ter sido impedida de recolher assinaturas

A candidatura às eleições presidenciais de Henrique Neto anunciou hoje que vai apresentar queixa ao Provedor de Justiça, à Comissão Nacional Eleições e à PSP por de ter sido impedida pela segunda vez de recolher assinaturas na sexta-feira, em Lisboa.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a candidatura de Henrique Neto explica que este novo incidente aconteceu sexta-feira "quando um grupo de funcionários da Associação Industrial Portuguesa (AIP), juntamente com um funcionário da empresa de segurança privada SOV abordou os voluntários da candidatura de Henrique Neto que recolhiam assinaturas para a campanha presidencial, exigindo que abandonassem o passeio público frente à FIL".

"A candidatura exige um pedido de desculpas da AIP e vai apresentar uma reclamação à direção nacional da PSP, uma queixa ao Provedor de Justiça e à CNE, assim como enviará uma nota informativa à Presidência da República. Igualmente irá entregar uma participação contra incertos na Esquadra da PSP da área da ocorrência (Gare do Oriente)", anuncia.

De acordo com o mesmo texto, depois terem sido impedidos de prosseguir a recolha de assinaturas, os membros da candidatura pediram a presença da PSP, que "endossou a opinião dos seguranças da AIP e exigiu que os voluntários abandonassem o passeio público, algo a que estes prontamente acederam".

Este já é o segundo incidente deste género com esta candidatura, que recorda que na semana passada a mesma equipa de voluntários foi "instada a sair do Parque Eduardo VII, por um grupo de seguranças privados ao serviço da Modelo Continente".

"Uma ação de recolha de assinaturas, apoiada pela distribuição de propaganda da candidatura insere-se, obviamente, no quadro da tipificação definida pela CNE, existindo assim desconhecimento da lei e da sua aplicação por parte da AIP, da empresa de segurança e dos agentes da PSP que se deslocaram ao local", criticam, garantindo que a recolha de assinaturas decorria no passeio público e não no interior da FIL.

A candidatura de Henrique Neto "lamenta que exista por parte de entidades privadas este desconhecimento da lei e dos mais básicos princípios democráticos", enfatizando que "não há democracia sem candidaturas, e não pode haver candidaturas sem 7500 assinaturas".

Lusa/SOL