Internacional

Greve da Lufthansa leva ao cancelamento de 84 voos de longo curso

A greve dos pilotos da Lufthansa, que hoje se iniciou, provocou até agora como estava previsto o cancelamento de 84 voos de longo curso, informou fonte da transportadora.     

Entretanto, representantes do sindicato alemão Vereininung Cockpit (VC), citados pela Efe, referiram hoje que a greve pode afetar na quarta-feira também os voos de curto e médio curso e não afastaram a possibilidade de haver semanalmente novas greves no âmbito do atual conflito laboral com a companhia aérea.

"Daqui em diante é possível que em cada semana venham a ser convocadas novas mobilizações", afirmou o porta-voz do sindicato, Markus Wahl.

Entretanto, a Lufthansa anunciou que vai apresentar um plano especial de voos para fazer frente à greve.

Na segunda-feira, o VC tinha anunciado o prolongamento da greve para mais um dia.

A greve de hoje, que afeta os voos de longo curso e o transporte de mercadorias, é a 13.ª em 18 meses, e teve início pelas 06:00 (05:00 em Lisboa) e terminará pelas 22:00 locais (21:00 em Lisboa).

Na quarta-feira, o sindicato vai "apelar a todos os seus membros" para fazerem greve entre as 00:01 (23:01 em Lisboa) e as 23:59 (22:59), anunciou a direção do sindicato na internet, acrescentando que a greve inclui a companhia aérea de baixo custo do grupo alemão, a Germanwings, afetando também os voos de curto e médio curso.

 No centro do conflito, no âmbito do qual se realizaram 13 greves, estão os planos da companhia para mudar as regras de pré-reforma de 5.400 pilotos, bem como a futura estrutura da transportadora, na qual o VC teme uma deslocalização sistemática de postos de trabalho.

A última greve dos pilotos ocorreu em março e desde então foram mantidas negociações entre o VC e a Lufthansa, mas que foram dadas como fracassadas pelo sindicato na semana passada.

Em comunicado, o sindicato avançou que tinha feito concessões significativas, mas sem, no entanto, encontrar uma solução comum com a gerência. O sindicato acusa a companhia alemã de querer "quebrar estruturas sociais" dentro do grupo e "enfraquecer a união."

Depois da queda de um avião da Germanwings, companhia do grupo Lufthansa, nos Alpes franceses, em março, o Vereinigung Cockpit suspendeu as greves e as negociações com a administração que levava a cabo nos meses anteriores.

Lusa/SOL