Economia

TAP é o desafio mais urgente do novo governo

Garantir a recapitalização da TAP será um dos desafios que o próximo governo quererá ver concretizado mais rapidamente. Em curso está a venda de 61% do capital do grupo aéreo ao consórcio Atlantic Gateway. Mas a conclusão da privatização ainda permanece ‘presa’ pela renegociação da dívida com a banca – que estará bem encaminhada. E terá de conseguir luz verde da Autoridade da Aviação Civil, que já pediu ao agrupamento formado por David Neeleman e Humberto Pedrosa que faça reajustes ao modelo de controlo.


A debilidade financeira da companhia poderá obrigar o próximo governo a ter de agir com rapidez e a avançar para a assinatura do contrato final assim que possível.

Das empresas da esfera estatal para o sistema bancário, passando pelas contas públicas, são vários os riscos ou obstáculos à espera do novo executivo. “Em todas as frentes, a fragilidade da situação é grande”, alerta o economista João César das Neves.

O novo Governo de Passos Coelho, que tomou posse na sexta-feira, e um eventual executivo de esquerda, liderado por António Costa, tem como missão recuperar o atraso na apresentação do Orçamento do Estado para 2016. De esquerda ou de direita, o novo governo não conseguirá escapar a desafios sensíveis para a opinião pública, como a venda do Novo Banco.

Na opinião dos economistas, “a situação política atual é, em si, mesma um dos principais fatores de risco para a economia portuguesa”, como menciona Filipe Garcia, economista da IMF.

sandra.a.simoes@sol.pt e ana.serafim@sol.pt

Os comentários estão desactivados.