Economia

Cerveja, whisky e tabaco aumentam 3%. Vinho fica inalterado

A proposta de Orçamento do Estado para 2016 (OE2016) prevê um aumento de 3% nos impostos aplicados à compra ao tabaco, à cerveja e às bebidas espirituosas. No vinho não há alterações legislativas.

A proposta de Orçamento do Estado para 2016 (OE2016) prevê um aumento de 3% nos impostos aplicados à compra ao tabaco, à cerveja e às bebidas espirituosas. No vinho não há alterações legislativas.

Nas cervejas mais consumidas, que têm entre 0,5 % e 1,2 de volume, o imposto passa para 7,98 euros por hectolitro, quando em 2015 estava em 7,75 euros/hl.

A taxa do imposto aplicável às bebidas espirituosas passa a ser 1327,94 euros/hl, quando estava a 1289,27/hl.

No tabaco, uma das componentes do imposto que forma o preço final, o chamado “elementos específico”, vai aumentar de de 88,2 euros para 90,85.