Economia

Preços do petróleo podem subir

A queda em fevereiro da produção de crude nos países da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) - organismo que controla 40% da produção mundial - e a expectativa de estímulos económicos na China têm vindo a sobrepor-se aos receios de excesso de produção de petróleo a nível global.

A redução da produção tem sido uma das estratégias defendidas pelo secretário-geral da OPEP, Abdullah el-Badri, para fazer face à queda continuada dos preços. De acordo com o responsável, esta estratégia deveria prolongar-se durante três ou quatro meses para avaliar o seu efeito e, se necessário, aplicar novas medidas.

Ainda assim, o secretário-geral da organização mostra-se otimista e acredita que é possível assistir-se a uma subida de preços em 2017. Para isso, defende uma colaboração por parte de países que não fazem parte da OPEP, como os Estados Unidos.

Os principais membros da OPEP vão estar reunidos com outros produtores de petróleo na Rússia a 20 de março. Um dos objetivos deste encontro é retomar as negociações para travar o aumento da produção de crude. Apesar de o Irão já ter afirmado que a tentativa de acordo entre a Rússia e a Arábia Saudita para congelar a produção é “ridícula”.