Politica

PS chumba comissão para a Segurança Social

Passos propôs, César não vê “nenhuma razão” para a existênciade uma comissão

O líder da bancada parlamentar socialista disse ontem em Santarém não haver “nenhuma razão” para o PS aprovar a criação de uma comissão eventual para promover uma reforma estrutural do sistema público de Segurança Social, como foi anunciado na semana passada por Pedro Passos Coelho e que o grupo parlamentar do PSD leva hoje à discussão - e votação - na Assembleia da República.

“Não há nenhuma razão para que essa comissão eventual seja nesta fase aprovada”, disse Carlos César durante uma visita à Feira Nacional de Agricultura, em Santarém.

“O governo está a tratar essa matéria”, disse o líder parlamentar do PS. E “privilegia o âmbito da concertação social para que essa discussão ganhe algum fôlego”. “No tempo próprio e existindo propostas”, a Assembleia da República “não deixará de ser participante de pleno direito”, uma vez que, com propostas legislativas, o parlamento será o fórum de debate.

Na sexta-feira, pouco tempo antes da abertura oficial do congresso do PS, o líder do PSD, Pedro Passos Coelho, deu uma conferência de imprensa a pedir um grande debate sobre o futuro da Segurança Social. “É imperioso não adiar a resposta política a este problema”, disse.