Economia

Sabe qual é o supermercado com os preços mais baixos?

O estudo analisa também as compras feitas pela internet e também aqui há surpresas.

O Continente é o campeão dos preços baixos. Depois de anos de ausência no primeiro lugar, a cadeia de supermercados do grupo Sonae volta a assumir a liderança, destronando o Jumbo. Esta é uma das conclusões do estudo da Associação de Defesa dos Consumidores (DECO) ao analisar mais de 46 mil preços analisados, quase cinco centenas de lojas visitadas, incluindo cinco supermercados online, pesquisas em todos os distritos, incluindo Açores e Madeira.

A exceção ocorre nos distritos do Porto e de Setúbal, onde os hipermercados Jumbo continuam a ser imbatíveis nos preços. O mesmo acontece na Madeira, onde a cadeia Novo Super se destaca, enquanto nos Açores o sucesso recai na insígnia Continente Modelo.

De acordo com o mesmo estudo, para quem gasta, em média 150 euros por mês, trocar a loja mais cara pela mais barata no distrito de Lisboa pode render uma poupança anual de 501 euros. Já no Porto, consegue 412 com a mesma estratégia.

E qual é o segredo? “Basta que os consumidores se desloquem algumas centenas de metros, por vezes na mesma rua, para conseguir poupanças imediatas que representarão algumas centenas de euros em carteira ao longo do ano”, garante a entidade.

A associação dá exemplos e garante que “há casos em que a poupança está quase ao virar da esquina”. Por exemplo, em Peniche trocar o Pingo Doce pelo Minipreço traduz-se numa poupança anual de 62 euros e isso implica andar 200 metros.

“É quase tanto quanto têm de percorrer os clientes do Minipreço de Faro, se quiserem poupar 150 euros anuais no seu cabaz. Neste caso, basta andarem 280 metros até ao Pão de Açúcar”, garante.

Mais barato do país 

Já em Lisboa, quem vive na zona do Restelo poderá poupar 287 euros por ano, no cabaz marcas, se trocar o Minipreço pelo Supercor e os dois espaços estão a 600 metros de distância um do outro. Mas para ir ao hipermercado mais barato do país terá de se deslocar ao Continente do Vasco da Gama.

No entanto, esta viagem até ao Parque das Nações poderá não fazer sentido para todos os consumidores. “Acima de tudo, cada um tem de pensar naquilo que mais valoriza: se apenas o preço ou também a proximidade, a conveniência dos horários, o tempo ou o cansaço que uma grande deslocação pode provocar no meio de uma agenda diária sobrecarregada”, esclarece.

O estudo compara também as compras online e analisa os sites do Jumbo, Continente, Intermarché, El Corte Inglés e Froiz. O Jumbo destaca-se como o mais barato ao permitir uma poupança anual de 163 euros no cabaz marcas. Já a loja online do Continente é a mais cara nesta análise.

Para eleger as lojas mais baratas em cada região, a DECO selecionou dois cabazes que representam as compras dos portugueses. Um constituído apenas por produtos de marcas de fabricante e o outro por marcas mais baratas disponíveis em cada loja. “É assim que procuramos representar a diversidade de compras das famílias, muitas delas já se rendidas à poupança proporcionada pela combinação das marcas mais baratas da loja com aquelas dos fabricantes a que se mantêm fiéis”, salienta a associação.