Sociedade

130 alunos do colégio que encerrou transferidos para a escola pública

Mais de metade dos 247 alunos de Caminha que na passada segunda-feira viram o seu colégio da “Ancorensis - Cooperativa de Ensino” fechar portas já pediram transferência para a escola pública

Segundo a câmara municipal, que se articulou com Direção de Serviços de Educação

da Região Norte para encaminhar os alunos para outra escola, houve 130 alunos que já pediram transferência para o agrupamento de escolas Sidónio Pais e vão começar as aulas a dia 15 de Setembro.

Esta era uma das escolas públicas que foi indicada pelo Ministério da Educação como sendo solução para acolher os alunos, que estão a uma semana do arranque oficial do ano letivo.

A outra possibilidade para acolher os alunos é a Escola Básica e Secundária do Vale do Âncora, “assim seja essa a vontade dos encarregados de educação”, diz o Ministério da Educação.   

O pedido de transferência dos alunos para estas escolas públicas termina no final de segunda-feira, avisa ainda o município, que tal como o Ministério da Educação garante que “as duas escolas do agrupamento têm capacidade total para receber os alunos que o desejarem2 estando previsto que o início das aulas naquele município seja dia 15 de Setembro.

A funcionar em Caminha desde 1988 a Ancorensis decidiu, em assembleia-geral, "a cessação imediata da função de ensino e o despedimento coletivo de todos os 67 trabalhadores, por não ter direito a abrir novas turmas com contrato de associação.