Economia

Crédito à habitação. Juros atingem novos mínimos históricos

Apesar da diminuição registada nos últimos dois meses, os empréstimos para a compra de casa continuam a crescer face a 2015.

Agosto foi o mês com os juros mais baixos no crédito à habitação desde que os valores começaram a ser analisados pelo Banco de Portugal (BdP).

"Nas novas operações de crédito a particulares para a finalidade habitação, a taxa de juro média foi de 1,92%", revela o BdP. No total, a banca emprestou 477 milhões de euros em novos créditos para a compra de casa.

No que diz respeito ao crédito para consumo e outros fins, "as taxas de juro médias foram de 7,43% e de 4,35%, respetivamente", com um total de 323 milhões emprestados para o consumo e 143 milhões para outros fins. As taxas de juro dos empréstimos às empresas mantiveram-se na média de 3,14% registada em julho.

Já os juros dos depósitos a prazo a um ano também chegaram a mínimos históricos de 0,36%, mostrando a face menos vantajosa do ambiente atual de baixos juros.

Menos empréstimos

Ainda assim, as instituições financeiras emprestaram 477 milhões de euros para a compra de casa, em agosto. Este valor fica aquém dos 485 milhões de euros emprestados um mês antes e dos 587 milhões de euros relativos a Junho. Desde o início do ano, o novo crédito à habitação ascende a 3.661 milhões de euros.

Mas apesar da diminuição registada nos últimos dois meses, os empréstimos para a compra de casa continuam a crescer face a 2015.

Aliás, o ano passado foi marcado pela recuperação do crédito à habitação. Estes representam metade de todo o crédito que é concedido a particulares (943 milhões de euros, em agosto). E se em mês de férias o crédito à habitação diminuiu, o mesmo não se pode dizer do crédito ao consumo. Em agosto, os bancos concederam 323 milhões de euros em crédito ao consumo, o que supera os 299 milhões de euros emprestados um mês antes. Desde o início do ano, foram emprestados 2.453 milhões de euros, mais 22% do que no ano passado.

Quanto ao crédito para outros fins, o novo montante financiado em agosto ascendeu a 143 milhões de euros, aquém dos 170 milhões emprestados um mês antes. Desde o início do ano, as novas operações totalizaram 1.271 milhões de euros.