Sociedade

Comandos. Militares detidos saem em liberdade

Esta decisão da juíza de instrução surge depois de a procuradora do DIAP de Lisboa não ter pedido a prisão preventiva dos cinco oficiais e dois sargentos.


Os sete militares detidos na passada quinta-feira no caso das mortes no curso de Comandos vão aguardar acusação em liberdade.

Esta decisão da juíza de instrução surge depois de a procuradora do DIAP de Lisboa não ter pedido a prisão preventiva dos cinco oficiais e dois sargentos.

Apenas Miguel Onofre Damaia Domingues, médico responsável pelo 127º curso de Comandos, ficou com medida de suspensão de exercício de funções no regimento de Comandos e em unidades de saúde.

Os restantes arguidos ficam apenas com termo de identidade e residência.

Recorde-se que os militares “são suspeitos da prática de crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física”. As autoridades continuam a investigar o caso, de forma a perceber se estará também em causa “crimes de omissão de auxílio” na morte de Hugo Abreu e Dylan da Silva.

Os comentários estão desactivados.