Sociedade

SNS reforça apoios para deixar de fumar

Todos os agrupamentos de centros de saúde devem ter pelo menos uma consulta de apoio à cessação tabágica até ao final do ano e alguns medicamentos serão comparticipados

O Serviço Nacional de Saúde vai reforçar os apoios para quem deseje deixar de fumar. As medidas serão anunciadas amanhã pelo ministro da Saúdenuma sessão pública no centro de saúde de Sete Rios, em Lisboa.

Um despacho publicado esta tarde em Diário da República adianta desde já algumas novidades.

Em maio, o governo tinha determinado que, até ao final de 2017, todos os agrupamentos de centros de saúde deviam ter pelo menos uma consulta de apoio intensivo à cessação tabágica a funcionar, meta que a tutela quer agora cumprir até ao final deste ano. Já no próximo ano o objetivo passa a ser aumentar as consultas em funcionamento.

Estão ainda previstas ações de formação nesta área, para que os profissionais de saúde tenham as ferramentas necessárias para ajudar na cessação tabágica.

O diploma prevê ainda maior acesso a medicamentos de substituição de nicotina e a comparticipação de medicamentos antitabágicos sujeitos a receita médica.

A DGS passará a fazer uma avaliação semestral do combate ao tabagismo.