Sociedade

Mundo virtual. Na era do Facebook, estes blogues continuam a ser um sucesso

Num tempo em que todos têm Facebook, muitos aderem ao Instagram e vários comunicam através do Twitter, ainda há espaço para os blogues? Quem toma conta dos seus com afinco não tem dúvidas. O i dá-lhe a conhecer os mais populares

Se recuarmos 15 anos, chegamos a um mundo sem Facebook, Instagram ou Twitter. Já comunicávamos através de telemóveis e sabíamos usar a internet, mas uma nova forma de interagir estava a começar a dar nas vistas: os blogues.

Hoje em dia, alguns bloggers portugueses continuam a ter milhares de leitores, mas a maioria acabou por perder terreno com o crescimento das redes sociais. Para Paulo Querido, jornalista e autor de livros como “Blogs” e “O Futuro da Internet”, este problema era “previsível”, pois a componente social – elementar na disseminação dos blogues – foi transferida na sua totalidade para as redes sociais. “Portugal não fugiu à regra internacional de perda de socialização para os sites Facebook e Twitter, sobretudo”, explica ao i.

O especialista aponta duas razões para a preferência das redes sociais: o imediatismo das reações e a forma como os conteúdos são disponibilizados aos utilizadores. “As plataformas organizadas, como o Facebook e o Twitter, produzem gratificação mais rápida, praticamente instantânea. [Para além disso], especializaram-se em modelos editoriais e de distribuição de conteúdos que são muito superiores às ferramentas disponíveis nas plataformas de edição de blogues”, afirma Paulo Querido.

Se as redes sociais tiraram “mercado” aos blogues, há, também nesta área, quem as tenha sabido usar em seu proveito e o fenómeno não desapareceu completamente. As páginas no Facebook e no Instagram, por exemplo, ajudam os autores a publicitar os seus blogues, angariando mais leitores. “Planeamentos específicos podem canalizar tráfego para os blogues e gerar algumas comunidades em torno de ideias e conceitos”, diz Paulo Querido. Mas a blogosfera portuguesa tem um calcanhar de Aquiles importante quando se trata de tirar partido das redes sociais: “É maioritariamente genérica, individualista e sem foco”, frisa o especialista, que alerta para o cansaço que o trabalho em duas plataformas diferentes pode provocar: “[Usar as redes sociais como forma de publicitar os blogues] envolve uma grande carga de trabalho e um sentimento de inutilidade, pois a maioria desse trabalho vai beneficiar as plataformas, sobrando muito pouco para os bloggers. Mas não há grandes alternativas.”

Se o enquadramento é este, o facto é que há bloggers que continuam a atrair milhares de leitores. E trabalham para isso.

O blogue mais doce Segundo o site Blogómetro, página que fornece estatísticas relacionadas com as visitas aos blogues portugueses, os blogues dedicados ao lifestyle e ao desporto dominam a lista das páginas com mais visualizações, possuindo a maioria conta nas redes sociais.

“A Pipoca Mais Doce” é, provavelmente, o blogue mais conhecido de todos e ocupa o primeiro lugar neste ranking, com uma média diária de 26 184 visitas. É apresentado como um “blog pessoal, (às vezes) humorístico e (quase sempre) sarcástico”, e aborda vários temas – da literatura à saúde, passando por futebol, cultura, restaurantes, viagens, temas de atualidade e peripécias do dia-a-dia da autora, Ana Garcia Martins.

“O blogue foi criado em janeiro de 2004 e coincidiu com a altura em que comecei a trabalhar como jornalista. Fui para jornalismo por ser a profissão que me permitia fazer o que eu mais gostava – escrever –, e não tanto por aquela coisa da investigação ou de conseguir manchetes”, lembra ao i Ana Garcia Martins.

“Quando comecei a trabalhar (na altura, no jornal “A Capital”) rapidamente percebi que o meu tipo de escrita e as coisas sobre as quais eu gostava de escrever não tinham espaço num jornal, por contingências editoriais óbvias, por isso vi nos blogues – que estavam a surgir naquela altura – uma ótima plataforma para divagar sobre tudo o que me apetecesse.”

Quando “A Pipoca Mais Doce” surgiu, a blogosfera estava a dar os primeiros passos em Portugal e era difícil angariar leitores. No caso de Ana Garcia Martins, o “passa-palavra” funcionou e, aos poucos, começou a formar-se uma comunidade de seguidores, algo que hoje em dia, com as redes sociais, parece muito mais fácil de conquistar. “Há 13 anos era inimaginável pensar no conceito de ‘blogger profissional’. A verdade é que o blogue acabou por ter um crescimento brutal, superou todas as minhas expectativas. De repente tornou-se um dos blogues mais lidos em Portugal e, mais do que isso, transformou-se no meu trabalho. Felizmente, a curva continua a ser ascendente, por isso acho que a evolução tem sido muito positiva.”

No total, o blogue já acumulou quase 90 milhões de visualizações, apesar de o contador de visitas só ter sido instalado cerca de seis anos depois da criação do mesmo. Mas “A Pipoca” também está nas redes sociais: no Instagram, Ana Garcia Martins tem mais de 142 mil seguidores, e no Facebook mais de 246 mil “gostos”. O segredo do sucesso? Existir uma identificação entre quem escreve e quem lê, defende Ana Garcia Martins: “Acho que os leitores se identificaram com as minhas histórias por eu ser um bocadinho a ‘girl next door’: alguém com problemas, preocupações e alegrias iguais às de tantas outras pessoas. Por outro lado, é um blogue que nunca se escusou a ter uma opinião, independentemente do assunto. Hoje em dia, a grande maioria dos blogues parece-me demasiado neutra, quase como se se receasse dizer o que realmente se pensa.”

No Poupar está o ganho “A Pipoca Mais Doce” não é único exemplo de êxito em Portugal. No segundo lugar da lista do Blogómetro surge a página “Poupadinhos e com Vales”, um blogue dedicado (como refere a página) à poupança e criado em 2013. Teve a sua origem num grupo fechado no Facebook que em menos de uma semana conseguiu cinco mil membros.

“Sempre fui uma pessoa muito poupada e sonhava mesmo com isto. Queria muito que as pessoas fizessem o mesmo que eu e que descobrissem o quanto era fantástico este mundo das poupanças”, conta ao i Janine Medeira, autora da página. O blogue surge em pleno pico da crise e foi fácil ganhar seguidores. “Era uma espécie de sonho guardado que pensei não vir a concretizar. Quando comecei a receber agradecimentos vindos de todo o país, percebi que tinha atingido o objetivo principal: ensinar os meus grandes truques de poupança e pôr toda a gente a poupar.”

Professora na Universidade do Algarve e com uma vida profissional bastante preenchida, Janine teve de deixar o emprego que tinha em duas escolas – onde dava formação – para conseguir alimentar o blogue que, ao fim de três anos de existência, venceu o prémio de melhor Blogue na Categoria de Economia e Negócios a nível nacional. “Fi-lo porque vi muito potencial na plataforma e as pessoas esperavam por artigos novos, por respostas às suas mensagens, emails e comentários. Não podia desiludir quem confiava em mim. Fiz o blogue para ajudar as pessoas: não conseguia deixá-las à espera durante dias para só depois responder às suas dúvidas.” A ideia acabou por mudar-lhe a vida. “A nível pessoal, atualmente tento trabalhar a todo o gás enquanto os miúdos estão na escola, para depois me dedicar a 100% à família assim que todos chegam a casa.”

O blogue oferece as últimas novidades no que diz respeito a promoções, vales e amostras, seja qual for a área de consumo. Mas, além disso, Janine criou rubricas próprias onde dá dicas sobre vários temas, como moda e culinária – sempre apresentando os preços mais baixos.

Ao longo dos últimos quatro anos, já acumulou mais de 28 milhões de visualizações. E, no Facebook, a página do blogue tem mais de 233 mil “gostos”.

Uma cozinha para todos No terceiro lugar da lista dos blogues mais lidos surge o “Benficaholic”, uma página dedicada ao Benfica, apresentando as últimas notícias relacionadas principalmente com a equipa de futebol do clube. Tem uma média de 1992 visitas diárias.

Logo a seguir surge um blogue completamente diferente, o “Cinco Quartos de Laranja”, com publicações dedicadas ao paladar e à criatividade na cozinha. Criado por Isabel Zibaia Rafael há 11 anos, este é um dos blogues portugueses mais antigos da blogosfera na área da alimentação e viagens, a publicar sem interrupções desde a data de lançamento.

O nome é curioso, mas também tem uma explicação simples. “A ideia surgiu ao ler o romance da escritora Joanne Harris ‘Cinco Quartos de Laranja’. Na altura senti necessidade de falar da minha vida tendo como ponto de partida a comida, tal como acontecia na obra. No romance existe uma herança que é um livro de receitas que a autora usa para falar dos aspetos que marcaram a sua vida e da sua família. Gostei tanto da ideia que decidi fazer algo idêntico”, lembra ao i a autora.

O blogue procura, para além de partilhar receitas, explorar viagens, visitas a restaurantes, idas ao cinema, livros, dicas e outros assuntos pessoais. Isabel Zibaia Rafael faz um planeamento semanal daquilo que tenciona escrever, tendo sempre como base os restaurantes que frequenta, os pratos que faz em casa e as experiências do seu dia-a-dia.

Também Isabel soube aproveitar o alcance das redes sociais. Tem uma página no Facebook com mais de 147 mil “gostos” e já conquistou mais de 3900 seguidores no Instagram, que acompanham o trabalho que vai desenvolvendo no blogue. Segundo a autora, a mudança nas interações sociais na internet, nos últimos anos, não trouxe qualquer estagnação ao projeto. Tanto o blogue como as páginas nas redes sociais têm tido um crescimento constante.

Em 2016, o blogue registou mais de 10 mil visualizações por dia e foi este sucesso que fez com que, desde há dois anos, Isabel conseguisse dedicar-se a tempo inteiro às suas plataformas: “Neste momento, para além de rubricas patrocinadas e exploração da publicidade no blogue, promovo workshops de cozinha em Lisboa e no Porto e realizo showcookings para marcas. Participo também em eventos e palestras, e colaboro regularmente com revistas. Desenvolvo receitas para marcas tanto nacionais como estrangeiras”, enumera. E, desde 2012, já publicou três livros de cozinha (“Cozinha para Dias Felizes”, “Delicioso Piquenique” e “O Livro de Petiscos da Isabel”). No ano passado foi presença assídua na televisão, com uma colaboração às quartas- -feiras no programa da RTP1 “A Praça”. E o trabalho nunca para. “Há sempre emails a responder, sejam convites, dúvidas dos leitores ou envio de orçamento”, explica. “O ‘Cinco Quartos de Laranja’ é uma paixão!”

A fechar o top-5 divulgado pelo Blogómetro está “A Mulher É Que Manda”, um blogue criado por Mónica Santana Lopes para partilhar as suas experiências como mulher e mãe, os seus gostos e ansiedades e o seu quotidiano.

“[É possível alimentar este blogue] com muita organização, menos horas de sono, mais olheiras e rugas”, resume a autora. “Sou responsável de comunicação de um centro hospitalar, por isso, o meu dia é dedicado ao emprego. Quando saio, dedico-me às minhas filhas, ao meu marido e à casa, e quando elas se deitam atiro-me ao blogue. Durante o fim de semana também dedico parte do tempo a escrever, a criar, a fazer produções fotográficas… Mas tentando sempre conseguir conciliar tudo isto com o tempo de família.”

Mónica Santana Lopes acredita que o segredo por detrás dos cinco anos de sucesso do projeto reside no facto de ser genuíno e não imitar o que já existe. “Aprendi muito, mudei bastante como pessoa, na forma como me apresento ou escrevo. Perdi medos e vergonhas, por isso acho que o blogue me tem feito evoluir como blogger e como pessoa”, afirma a autora, que conta já com mais de seis milhões de visualizações no seu blogue e 114 mil seguidores no Facebook.

Um “blogue-farmácia” A lista dos dez blogues mais lidos em Portugal completa-se com páginas dedicadas aos mais diferentes temas.

No sexto lugar surge “Internet para Todos”, um blogue dedicado à tecnologia que, apesar de não ser atualizado desde 2014, continua a estar entre os mais vistos.

Segue-se “As Minhas Pequenas Coisas”, um blogue simples que fala sobre aspetos do dia-a-dia e gostos pessoais – maternidade, moda, música, comida, tudo o que faz parte do quotidiano de uma mulher está naquele blogue.

A oitava posição vai para o “Aspirina B”, um blogue dedicado a questões políticas e à atualidade nacional. Na décima posição está “Deixa Passar o Maior de Portugal”, outro blogue dedicado ao Benfica. Pelo meio, na 9.a posição do ranking do Blogómetro está o “Quadripolaridades”, criado em 2007 por duas pessoas com ideias completamente diferentes (daí a polaridade no nome).

“Não é propriamente um blogue temático. O meu marido chama-lhe, com alguma graça, ‘blogue-farmácia’, pois diz que se pode encontrar de tudo por lá”, explica Liliana, a autora que mantém a página ativa e que começou a dedicar-se aos blogues em 2004, “na altura em que as pessoas nem sabiam bem o que era um blogue”.

Não tendo um tema nem uma linha exclusiva como fio condutor, acaba por abordar temas da atualidade, estados de espírito, críticas sociais e reflexões mais íntimas. “Não o considero um blogue de lifestyle, mas acaba por ser uma espécie de diário digital”, diz a autora.

O “Quadripolaridades” faz agora dez anos e desde 2012 que Liliana abdicou do anonimato para participar na organização de um evento solidário. “A perda do anonimato trouxe uma série de pessoas (familiares, amigos, colegas de trabalho) a lerem o blogue, o que veio gradualmente a hipotecar alguns temas sobre os quais me dava algum gozo desabafar mas que, nesta nova dinâmica, deixa de fazer sentido verem a luz do dia”, confessa a autora.

Quanto à “rivalidade” entre blogues e redes sociais, Liliana concorda que estas plataformas se complementam: “As redes sociais trouxeram uma maior mediatização das pessoas que escrevem blogues, vincando-lhes a sua identidade real, permitindo que leitores pesquisem no Facebook as suas relações familiares, no Linked-In os nomes de entidades empregadoras e, no Instagram, rotinas e espaços. Penso que as redes sociais aproximam os leitores dos bloggers e alimentam a leitura dos respetivos blogues”, conclui Liliana, que tem mais de 19 mil “gostos” no Facebook.

Os menos conhecidos Os blogues de figuras públicas tendem a ter sempre mais destaque. O comentador Cláudio Ramos fala sobre a atualidade cor-de- -rosa na sua página “Eu, Cláudio” e a apresentadora Cristina Ferreira dedica--se à moda, viagens e gastronomia na sua página “Daily Cristina”. Fátima Lopes e Teresa Guilherme são outras apresentadoras com blogues ativos.

Mas, neste mundo dos diários online, não é preciso ser famoso para ter centenas de fãs e há muitos outros blogues que, não estando no top-10 do Blogómetro, são casos de sucesso. Podem não dar tanto nas vistas, mas mantêm um número de seguidores fiéis que os acompanha ao longo de centenas de publicações.

É o caso de Mafalda Sousa, uma mulher de Abrantes que gere o blogue “A Felicidade é o Caminho”, dedicado a temas que fazem a autora (e quem a lê) feliz.

Com mais de dois milhões de visualizações, o projeto requer uma boa dose de planeamento. “Para que as coisas funcionem, tenho um mapa de tarefas onde planeio o que devo fazer ao longo do dia”, explica a autora.

Todos os dias faz pesquisas para futuras publicações, basicamente sempre que tem uma pausa ou antes de dormir. “Também estou habituada a levantar- -me cedo, cerca das seis. E é nesse horário que consigo escrever, normalmente ao fim de semana. Não escrevo tanto quanto gostaria, mas de momento é o que é possível”, conta Mafalda Sousa.

Numa blogosfera que continua a ter centenas de páginas para explorar em português, os métodos de quem está do outro lado do ecrã são tão variados como os temas. Carlos Fernandes, autor do blogue “Vício da Poesia”, prefere não ter um plano de tarefas e escreve apenas quando lhe apetece: “Apenas publico quando estou satisfeito com o que escrevi. E de entre os variados artigos em de-senvolvimento simultâneo, condições fortuitas fazem com que este ou aquele me satisfaça e publique.”

Já o blogue do escritor e jornalista José de Matos-Cruz, “Imaginário-Kafre”, funciona de uma forma completamente diferente: “Tem uma apresentação semanal, uniforme e sistematizada, com incidência virtualmente histórica. Quando existem temas de atualidade que considere relevantes, são inseridos como ‘Extra’”, explicou o autor ao i.

Catherine Labey e Jorge Magalhães nasceram em 1945 e 1938, respetivamente. São, por isso, bloggers maduros e mostram como não há limites para qualquer um se iniciar nestas lides. Têm vários blogues dedicados principalmente à pintura e literatura, destacando-se as páginas “O Gato Alfarrabista” (sobre banda desenhada) e “O Voo do Mosquito” (dedicado à revista “Mosquito”). “Criámos cada blogue com determinado objetivo. Eu sou ilustradora e gráfica e adoro gatos. Jorge Magalhães está como peixe na água em relação à BD, de que é grande colecionador, e porque dirigiu várias revistas da especialidade, como o ‘Mundo de Aventuras’, entre 1974 e 1987”, sublinha Catherine ao i.

Se o investimento em tempo e ideias é grande, os autores chegam a locais que nunca imaginariam alcançar: “Descobri que os gatos são um tema muito apreciado. O meu blogue ‘Gatos, Gatinhos e Gatarrões’ é visto nos cinco continentes, em países que nunca sonhei poder visitar”, remata a autora.