Opiniao

Para quando a dedução de despesas com veterinário no IRS?

Tenho três gatos, duas fêmeas e um macho. Foram todos devidamente esterilizados, e por razões de saúde, só comem comida de qualidade, comprada no veterinário. 

Tive de levar uma das gatas ao veterinário hoje de manhã. É um bom veterinário, que a sedou (é um bocado brava com toda e gente que não seja o dono), para depois a examinar e a medicar. Combinámos nova consulta para daqui a três semanas, para reavaliar a situação. No fim, chegou a conta. Não adianta dizer quanto foi, mas achei caro.

Quero sempre que os meus gatos tenham o melhor possível, quer na alimentação dos bichos quer nos cuidados de saúde, e isso implica fazer esforços financeiros adicionais da minha parte.

Neste contexto, penso que já vai sendo tempo de as autoridades equacionaram uma reivindicação antiga dos donos de animais: que as despesas com veterinários sejam fiscalmente dedutíveis no IRS. Atualmente, essa proposta ser-me-ia indiferente em termos financeiros, pois como desempregado sem receber subsídio não pago IRS. Contudo, esta não é, felizmente, a situação da maioria dos trabalhadores e pensionistas que têm animais domésticos.

Ter animais domésticos implica dar e receber amor. Já fui aqui criticado por lhes chamar companheiros e filhos substitutos, e com razão, pois o amor e os cuidados que temos com uma companheira ou com um companheiro ou, mais ainda, com uma filha ou com ou filho, são sempre superiores à que temos por um animal. Todavia, e a maioria dos donos de animais concordará comigo, o amor que damos e recebemos dos animais domésticos também é muito forte. Um bom dono não se limitar a ter os animais, cuida também deles.  

Os benefícios para a sociedade desses amores incondicionais são difíceis de medir, mas parecem-me inquestionáveis. Provavelmente, os animais de estimação livram muitas pessoas de problemas de saúde mental (acredito nas propriedades terapêuticas de ter animais, embora não conheça estudos científicos sobre isso; teria de perguntar a um médico), ou atenuam esses problemas. Finalmente, não ter animais vadios a deambularem pelas ruas traz benefícios à saúde pública.

Fazem parte do lote de amores que se tem durante a vida. Por isso, mas também devido aos benefícios que ter animais traz aos donos, os cuidados de saúde dos animais devem ser fiscalmente dedutíveis. Teria, claro, de ser feito de maneira a preservar o vital rigor orçamental. Mas, que raios, há de haver alguma folga para aliviar financeiramente as despesas de quem tem amigos de quatro patas.