Internacional

Regime sírio acusa Israel de bombardear base militar

O governo israelita não comentou, mas um ex-funcionário israelita confirmou ao New York Times que o objetivo do ataque era neutralizar um centro de pesquisa e desenvolvimento de armas químicas

O regime de Bashar Al-Assad acusou Israel de ter bombardeado na madrugada de ontem uma base militar síria, que, segundo analistas, continha armas químicas e mísseis. Damasco avançou que o ataque causou a morte de dois soldados perto da cidade de Masyaf, na Síria ocidental, e múltiplos danos materiais.

O governo israelita não comentou o alegado bombardeamento, mas um ex-funcionário israelita confirmou o ataque ao New York Times, tendo também revelado que o objetivo do ataque era neutralizar um local de pesquisa e desenvolvimento de armas químicas. 

Desde que a guerra civil começou que as forças armadas israelitas têm realizado ataques contra território sírio. A maioria das suas operações militares tiveram como alvos colunas de transporte de armas pertencentes ao libanês Hezbollah, um dos aliados de Damasco e de Teerão no conflito. 

O ataque relatado pelo regime sírio ocorreu um dia depois de uma comissão das Nações Unidas ter denunciado que Bashar Al-Assad usou armas químicas na guerra civil pelo menos 27 vezes, sendo que um deles matou 80 civis na cidade de Khan Sheikhun em abril.