Desporto

Chris Froome é o 10.º ciclista a fazer a dobradinha em grandes voltas

Além disso, o ciclista da Sky é apenas o terceiro atleta da história a conseguir vencer a Volta a França e a Volta a Espanha no mesmo ano. Um feito que não acontecia há 39 anos.

Christopher Froome tornou-se oficialmente no terceiro ciclista a conquistar no mesmo ano a Volta a França (em julho) e a Volta a Espanha, este domingo. Com o triunfo na 72.º edição da ‘Vuelta’, o ciclista da Sky conseguiu atingir um feito apenas alcançado, até ao dia de ontem, pelos franceses Jacques Anquetil, em 1963, e Bernard Hinault, em 1978, mas com a ‘pequena’ diferença de que na década de 60 e 70 as duas competições eram ainda intervaladas pela Volta a Itália (Giro).

O atleta de 32 anos, que até este domingo havia sido segundo classificado em três de seis participações, terminou a ‘Vuelta’ no 11.º lugar, com 2.15 minutos de avanço sobre o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Mérida), segundo classificado da geral, e 2.51 em relação ao russo Ilnur Zakarin (Katusha-Alpecin), que fechou o pódio.

Froome tornou-se desta forma o primeiro ciclista britânico a vencer a prova com meta em Madrid e, mais do que isso, juntou-se ao lote restrito dos 10 ciclistas que têm no seu historial duas grandes voltas na mesma temporada.

 

Top-10 das dobradinhas

O italiano Fausto Coppi foi o primeiro ciclista da história a consegui-lo e... por duas vezes: em 1949 e em 1952 Coppi fez a dobradinha Giro-Tour.

O já mencionado Jacques Anquetil também igualou o italiano. Depois de o francês ser o primeiro a alcançar a dobradinha Tour-Vuelta, em 1963, um ano depois viria a celebrar a vitória na Volta a Itália e na Volta a França (Giro-Tour).

O belga Eddy Merckx é o campeão com quatro dobradinhas no seu curriculum. Considerado por muitos como o melhor ciclista de todos os tempos, Merckx venceu, na mesma época, a Volta a Itália e a Volta a França por três vezes (1970, 1972 e 1974) e pelo meio, em 1973, arrecadou a dobradinha Giro-Vuelta.

Bernard Hinault, vencedor de 10 grandes voltas, é o segundo a figurar nesta lista com três dobradinhas: 1978 (Tour-Vuelta), 1982 (Giro-Tour) e 1985 (Giro-Tour).

Já o espanhol Miguel Indurain surge com duas dobradinhas, conquistadas em 1992 e 1993, anos em que venceu a Volta a Itália e a Volta a Espanha.

Com uma dobradinha na carreira inscrevem o seu nome neste grupo de elite o irlandês Stephen Roche (Giro-Tour, em 1987), o italiano Marco Pantani (Giro-Tour, em 1998), o espanhol que ontem se retirou da competição depois de ter vencido a penúltima etapa da Volta a Espanha, concluída no alto do Angliru, Alberto Contador (Giro-Vuelta, em 2008) e, agora, 9 anos depois... o britânico Chris Froome.

 

Rui Costa foi o melhor português

Quanto aos quatro portugueses em prova, Rui Costa (UAE Emirates Team) sagrou-se no melhor ciclista nacional em solo espanhol ao concluir a prova no 43.º posto da geral.

Já Nelson Oliveira (Portugal/Movistar Team) terminou quatro lugares abaixo, na 47.ª posição, enquanto Ricardo Vilela (Portugal/Manzana Postobon) fechou o top-50.

Rafael Reis (Portugal/Caja Rural-Seguros RGA) acabou por ficar no fundo da tabela, apenas na 132.ª posição de uma prova que reuniu, no total, 158 ciclistas.