Sociedade

Tancos. Quatro militares punidos pelo exército

Sargento que não mandou fazer rondas foi castigado com pena mais gravosa

O exército já concluiu os quatro processos disciplinares abertos, na sequência do furto do material em Tancos.

Vicente Pereira, porta-voz do exército, em declarações à Lusa, adiantou que nenhum dos militares recorreu das penas atribuídas e que a pena mais gravosa foi imposta a um sargento que “não mandou fazer as rondas como estava previsto na norma de execução permanente”.

Um militar que estava de serviço no dia que ocorreu o roubo, e que poderia ter feito a ronda, mas não fez, acabou por ser punido com “repreensão agravada”.

Já o militar responsável pelo controlo de entradas e saídas das cargas dos paióis foi punido com “repreensão simples”, por não ter preenchido corretamente o registo do material.

Recorde-se que o roubo do material foi divulgado a 29 de junho de 2017.