bi_sol

Vanessa. A contratação do engate advisor

A Vanessa decidiu contratar um assessor. Uma pessoa que funciona à semelhança dos assessores políticos, mas para dar conselhos sobre engates. Está contentíssima com o que escolheu: se é verdade que o seu último engate falhou, o engate advisor promete

Então troveja. Chove. A ventania rapta os lençóis do estendal. Enquanto eu, o Blake e o Mortimer curtíamos o temporalzinho no conforto do meu sofá, a campainha toca.

Era a Vanessa, que diz que não sofre de «seasonal affective disorder», que é como quem diz, não fica com uma grande pancada por causa do inverno.

– Contratei um engate advisor. 

– O quê? 

– É uma espécie de um assessor para os engates. Existem os assessores políticos, não é? Os policy advisors, certo? São os gajos que aconselham os políticos. Eu contratei um gajo para me aconselhar com os engates. 

Eu respondi que, assim à partida, a coisa me parecia um bocadinho bizarra. E que as livrarias já estavam cheias de monos de autoajuda para esse fim. Havia blogues, textos fundamentados por psicólogos em jornais de referência, um ror de palavras acumuladas sobre o assunto. O que iria acrescentar um assessor de engate? 

– Acrescenta e muito! Eu já comprei alguns livros e não aprendi nada! Li alguns textos e é sempre a mesma coisa. ‘Os homens gostam de desafios’ e o caneco. ‘Faça-se difícil’ e não sei que mais. Tudo isso é lixo. 
Não havia como não concordar. 

– Mas então como funciona o engate advisor?, perguntei eu.

– É muito simples. Tu podes telefonar a qualquer momento a pedir-lhe conselhos. Imagina que andas interessada num gajo qualquer. Estão a trocar mensagens. Se tiveres um engate advisor, o gajo pode aconselhar-te sobre a melhor forma de responderes às mensagens. Com esta porcaria dos chats, tornou-se tudo demasiado imediatista. É como os políticos com os jornais online, estás a ver? É uma overdose de informação que não havia dantes. No tempo do telefone fixo alguma vez eu precisaria de algum assessor? Fogo, as novas tecnologias vieram prejudicar a tranquilidade do processo de engate. 

– Mas que raio é que tu perguntas ao engate advisor? – Montes de coisas. Por exemplo, agora conheci um gajo mas não tenho a certeza se ele está interessado em mim. O engate advisor anda a ajudar-me.

– Em quê? Vanessa, por amor de deus, se tu não sabes se o gajo não está interessado em ti é porque o gajo não está interessado em ti. Contrata-me a mim, caraças. 

– Não, tu és bruta. O engate advisor é muito mais fofinho, ajuda em tudo. E como é homem conhece a linguagem dos homens. Olha, aqui há dias estava na cama com esse gajo e disse-lhe que precisava de fumar um cigarro e ir à casa de banho. Sabes o que fui fazer? Ligar ao engate advisor a perguntar-lhe se ele achava se era próprio fazer determinadas coisas num primeiro encontro. O gajo foi mesmo fixe, deu-me umas boas pistas e o outro nem percebeu nada. 

– Vanessa, enlouqueceste de vez. Agora perguntas a um conselheiro o que deves fazer na cama com um gajo? Bateste no fundo.

– Não bati nada. Correu tudo lindamente. 

– Correu? Mas continuas a sair com esse gajo?

– Não. Ele disse-me que agora estava sem tempo nenhum, muito trabalho, nenhuma disponibilidade.

– Então correu tudo mal! Isso é tanga! 

– Sim, foi precisamente isso que me disse o engate advisor! Ele foi clarinho: explicou-me que quando o gajo me disse que não tinha falta de interesse mas sim falta de disponibilidade me estava a dar uma grande tanga! Foi hiper-querido o engate advisor.

– Ó Vanessa, eu podia dizer-te essa treta. Nenhum gajo que esteja interessado diz que não tem tempo. Isto é verdade desde o tempo dos afonsinos.

– Desculpa, mas eu estou muitíssimo satisfeita com o meu assessor de engates. Gosto de falar com ele. Faz-me ficar com boa onda, não sei. Achavas mal se eu tentasse engatar o meu engate advisor??????