Politica

Pacote laboral. PS diz que debate na especialidade “é o mais útil”

No final da reunião da bancada do PS, o  também presidente do PS preferiu atacar o PSD por ter avisado que não se pode desvirtuar o acordo de concertação social

    Temas

  • PS

O líder parlamentar do PS, Carlos César, admitiu esta quinta-feira que ainda não existe um acordo fechado sobre o pacote laboral com os parceiros à esquerda para evitar mais um momento de tensão no Parlamento entre as forças políticas que apoiam o governo.  “Nós entendemos que o mais útitl seria que todos os diplomas e todas as contribuções pudessem baixar à especialidade”. Se tal não for possível, então, o PS “estará preparado para votar a favor de alguns diplomas”. Quais? Carlos César não os quis revelar aos jornalistas, mas não deverão ser mais do que cinco medidas das 18 em debate amanhã.

No final da reunião da bancada do PS, o  também presidente do PS preferiu atacar o PSD por ter avisado que não se pode desvirtuar o acordo de concertação social. “É um novo estatuto do PSD de interpréte desse acordo”, começou por comentar Carlos César. O dirigente considerou que o PS está mais perto do espírito do acordo porque foi o seu governo quem o assinou. E acusou o PSD de não ter “um espírito muito estável sobre coisa alguma como se viu na sua declaração sobre o Orçamento do Estado”.