Politica

Ryanair. PS defende que Governo deve "agir" caso se confirme violação dos direitos dos trabalhadores

PS afirma entender muito bem a luta que está a ser travada pelos trabalhadores da Ryanair

Esta quinta-feira, o PS mostrou compreender os motivos da greve dos trabalhadores da Ryanair e pediu ao Governo para “agir” caso se conclua a existência “da violação grosseira” dos direitos dos trabalhadores.

"O Governo deve aguardar pelas conclusões da ACT e, em função dessas conclusões, nomeadamente sobre a eventual violação grosseira dos direitos dos trabalhadores, deve agir em conformidade. A retirada ou não de benefícios [económico-financeiros] é uma decisão do Governo, que tudo deve fazer para que os direitos dos trabalhadores sejam cumpridos", afirmou aos jornalistas a deputada socialista Idália Serrão.

Além disto, a socialista não deixou de parte a forma como a companhia pediu desculpa aos seus passageiros e sugeriu ainda que a mesma peça desculpa aos seus trabalhadores. "Para além de pedir desculpa através das redes sociais aos passageiros que não puderam fazer as suas viagens, a Ryanair deveria também pedir desculpa aos seus trabalhadores pela violação grosseira dos seus direitos", disse.

Idália Serrão acrescentou ainda que o PS “entende muito bem a luta que está a ser travada pelos trabalhadores da Ryanair em defesa dos seus direitos e do cumprimento da legislação laboral em vigor em Portugal" e revelou que a “ ACT tem estado no terreno a identificar os trabalhadores que chegam para substituir outros em greve” e por isso, “em breve, irá produzir conclusões que serão enviadas à Assembleia da República".

 Record-se que os países onde os trabalhadores da Ryanair estão a fazer greve têm o mesmo objetivo: que as suas leis nacionais - como a garantia do ordenado mínimo, licença de maternidade, e ainda,  que a empresa retire processos disciplinares devido a baixas médicas, por exemplo - sejam aplicadas e não a lei do país de origem da empresa, a Irlanda, como acontece.