Desporto

FPF e Altice defendem VAR da falha do Dragão

Videoárbitro esteve inoperacional entre os 15 e os 45 minutos da primeira parte do jogo entre FC Porto e Vitória de Guimarães.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Altive reagiram às várias criticas que surgiram após o jogo entre FC Porto e Vitória de Guimarães, numa partida em que o sistema de  videoárbitro esteve sem funcionar durante 30 minutos, altura em que ocorreram dois lances muito duvidosos, um deles deu mesmo o segundo golo ao FC Porto.

“O sistema é eficiente, como provam os cerca de 35 mil minutos sem registo de ocorrências que impeçam a sua utilização. Nesse período, foram comunicadas publicamente pelo Conselho de Arbitragem falhas em apenas dois jogos: Desportivo das Aves-Benfica (época 2017/18) e FC Porto-Vitória SC (2018/19)”, lê-se num comunicado enviado à agência Lusa.

“Do protocolo de utilização do sistema em cada jogo faz parte um período de testes que envolvem técnicos na Cidade do Futebol [sede da FPF, em Oeiras] e no estádio, bem como a equipa de arbitragem. No jogo disputado no Dragão, (…) o sistema foi testado, como estipula o protocolo. Por volta dos 15 minutos perdeu-se a comunicação com o estádio, devido a falha num componente de ‘hardware’ da solução”, pode-se ler a explicação na nota da FPF e Altice.

O comunicado termina com a garantia da FPF e Altive na melhoria tecnológica do VAR de forma a evitar situações semelhantes: “A FPF e a Altice comprometem-se a continuar a trabalhar em conjunto no desenvolvimento tecnológico, nomeadamente nos mecanismos de redundância do sistema de videoarbitragem, que permita manter o futebol português na vanguarda”.