Sociedade

Benfica reage a acusação do MP: é "absurda" e "injustificada"

O Ministério Público (MP) acusou, esta terça-feira, Paulo Gonçalves - assessor jurídico da SAD do Benfica e o Benfica de vários crimes de corrupção. 

Esta terça-feira, o Sport Lisboa e Benfica e o assessor jurídico da SAD do clube, Paulo Gonçalves, foram acusados de crimes de corrupção no âmbito do processo e-toupeira, adianta a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL).

De acordo com o MP, em causa estarão crimes de corrupção ativa e passiva, a oferta ou recebimento indevido de vantagem, peculato, acesso indevido, violação do dever de sigilo e falsidade infomática. 

Através de uma nota à comunicação social, colocada no site oficial do clube, o Benfica reagiu à acusação feita, afirmando que é "absurda" e "injustificada".

Leia o comunicado do Benfica na íntegra:

"A Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD, tendo tomado conhecimento, através de um comunicado da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, do requerimento do Ministério Público com a dedução da acusação em que constitui como arguida a SAD do Benfica, enquanto pessoa coletiva, no âmbito de um inquérito sobre violação do segredo de justiça, esclarece:

1. Lamentamos o insólito e lamentável facto de ser emitido um Comunicado da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa a enunciar o termo da acusação, sem notificação e o conhecimento do conteúdo pelas partes envolvidas.

2. Mantemos a firmeza e clareza da nossa posição, anunciada logo que foi dado conhecimento público desta situação, quanto à inexistência de factos que justifiquem qualquer acusação no âmbito deste processo.

3. Informamos que iremos reagir, logo que tenhamos conhecimento dos termos concretos da acusação, com total rigor e firmeza no sentido de desmontar as absurdas e injustificadas imputações do Ministério Público, o que será feito, estamos certos, ao longo deste processo.

4. Por fim, repetimos e reafirmamos perante todos os milhões de Sócios, adeptos e simpatizantes do Sport Lisboa e Benfica a nossa total convicção de que no fim a Lei prevalecerá e será provado que nenhum elemento da Administração da SAD do Sport Lisboa e Benfica teve qualquer tipo de contacto ou conhecimento sobre os factos imputados neste processo. Factos que versam afinal sobre uma matéria sobre a qual, se alguém tem sido vítima, trata-se precisamente do Benfica. Vítima de violação sistemática do segredo de justiça e de arbitrariedade de decisões que merecem da nossa parte o mais forte repúdio e resposta compatível nas instâncias legais.

Conselho de Administração da Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD

Lisboa, 4 de setembro de 2018"