Politica

Medina deu ordem para hasta pública

Justiça tem dúvidas legais sobre a venda dos terrenos da antiga Feira Popular. MP solicitou esclarecimentos adicionais à Câmara.

A hasta pública através da qual iriam ser vendidos os terrenos da antiga Feira Popular, em Lisboa, foi ontem interrompida após o Ministério Público (MP) ter levantado dúvidas legais quanto à venda daquele património.

O SOL sabe que, apesar das dúvidas suscitadas na véspera pelo MP, foi Fernando Medina quem decidiu manter a abertura da sessão de hasta pública.

A sessão foi mesmo aberta, mas  o diretor municipal de Gestão Patrimonial da Câmara de Lisboa, António Furtado, acabou por suspender o procedimento já depois de apresentadas as propostas por três interessados.

Leia mais na edição impressa do SOL.