Economia

Sindicato dos funcionários públicos quer garantir progressão

Em comunicado dirigido ao governo a Fesap afirma que não vai aceitar que se aproxime o salário médio do salário mínimo e pede que a questão seja clarificada

dr  

Salvaguardar os pontos de avaliação de desempenho dos trabalhadores que vão ver o salário base aumentar para 635 é a exigência da  Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) para com o governo, uma vez que continuam a existir dúvidas quanto às consequências deste aumento salarial. Para o sindicato a progressão da carreira é a principal preocupação.

Em comunicado dirigido ao governo a Fesap afirma que não vai aceitar que se aproxime o salário médio do salário mínimo e pede que a questão seja clarificada “quer seja através do articulado do próprio Decreto-lei, quer seja através de outro qualquer expediente normativo oficial, deixando claro que os trabalhadores que têm 10 pontos não os perderão e que estes serão utilizados para fins de valorização remuneratória”

As sucessivas reuniões entre os sindicatos e o Ministério das Finanças e a decisão de manter sem aumento salarial maior parte dos funcionários públicos é a principal motivação para a o pré-aviso de greve já para o próximo dia 15 de Fevereiro. Dia em que também a Frente Comum planeou greve.