Economia

Governo não aceita diferença de preços cobrados à ADSE

Mário Centeno disse ainda ser crucial que os direitos dos funcionários públicos sejam respeitados no que toca à ADSE e que sejam resolvidas todas as dúvidas que ainda existem sobre as diferenças de preços. 

DR  

Mário Centeno foi esta quarta-feira ouvido no Parlamento e disse não aceitar que os hospitais privados pratiquem preços acima do custo do Serviço Nacional de Saúde à ADSE. "Preços diferenciados para os mesmos atos, preços muito acima do que hospitais públicos suportam em termos de custos, isso não pode continuar", afirmou o ministro das Finanças. 

Este deixou ainda a garantia de que a tabela de preços de referência da ADSE está a ser elaborada com todos os envolvidos com o subsistema de saúde, um processo que quer ver resolvido com a maior brevidade por forma garantir a proteção de todas as partes. 

Centeno disse ainda ser crucial que os direitos dos funcionários públicos sejam respeitados no que toca à ADSE e que sejam resolvidas todas as dúvidas que ainda existem sobre as diferenças de preços. 

O ministro explicou também que, para garantir que o dinheiro dedicado ao SNS é bem utilizado e que a relação entre o subsistema de saúde e os privados se mantém saudável, constava uma revisão das tabelas da ADSE no decreto-lei de execução orçamental de 2018.