Sociedade

Aeroportos já atingiram "reservas de emergência"

Paralisação dos motoristas de matérias perigosas iniciou-se ontem, segunda-feira, e tem forte adesão 

Esta terça-feira, a ANA - Aeroportos de Portugal informou que as reservas de emergência de combustível já foram atingidas no aeroporto de Faro e que prevê que as petrolíferas deixem também de abastecer o aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, ao início desta tarde, algo que poderá causar "disrupções de serviço".

Por essa razão, a ANA admite, citada pela Lusa, que "não tendo sido assegurados os serviços mínimos, e em função do tempo necessário para a requisição civil ter efeitos práticos, os nossos aeroportos podem ter disrupções de serviço ao nível operacional", garantindo que a situação está a ser acompanhada “em permanência". 

À Lusa, a gestora aeroportuária explica que "no Aeroporto de Faro já foram atingidas as reservas de emergência, estando o fornecimento de combustível suspenso, pelas empresas petrolíferas, desde ontem à noite".

Já na manhã desta terça-feira, em declarações à Lusa, membro do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), Francisco São Bento, avançou que a estrutura sindical previa que ao início da tarde os aeroportos de Lisboa e Faro ficassem sem combustível.

A ANA está a aconselhar todos os passageiros que tenham voos agendados nestes aeroportos que se informem junto das companhias aéreas pelas quais vão viajar acerca dos seus voos, aproveitando para lamentar todo "o transtorno causado aos passageiros".

A gestora aeroportuária afirma ainda que espera que "a situação seja resolvida com a máxima urgência pelas autoridades competentes".