Sociedade

TAP diz que odores são questão temporal

Antonoaldo Neves esteve no Parlamento onde prometeu que a TAP está atenta ao problema dos novos aviões e garante odor não é nocivo para a saúde.

 

O presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, esteve no Parlamento no âmbito da audição da Comissão Executiva do Conselho de Administração da TAP. Aos deputados, o responsável explicou que «os odores a bordo são uma questão meramente temporal, não é nociva para a saúde nem representam nenhum risco». Antonoaldo prometeu ainda que a empresa não coloca em risco nem tripulantes nem passageiros e, nesse sentido, a TAP vai continuar atenta à situação e a continuar com os testes aos novos aparelhos.

O assunto dos prémios entregues a 180 trabalhadores, no valor de 1,17 milhões de euros, num ano em que a empresa registou prejuízos de 118 milhões foi também um assunto falado, com Antonoaldo Neves a explicar que «não é a primeira vez que uma empresa ou a TAP paga prémios num ano de prejuízo». E justificou as perdas com o elevado gasto do combustível. A par dos custos de petróleo, o CEO da companhia aérea justificou os prejuízos da empresa também com as despesas não correntes que ascenderam a 90 milhões de euros em 2018. E deu como exemplo, a greve de zelo dos pilotos, o que exigiu o aluguer de aeronaves.